Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende casal que armazenava droga no próprio apartamento

Operação começou quando homem viu os policiais e saiu correndo em direção ao conjunto habitacional onde morava


postado em 23/05/2019 17:31 / atualizado em 23/05/2019 19:02

Policiais apreenderam cerca de 700 buchas de maconha(foto: Divulgação/PMMG)
Policiais apreenderam cerca de 700 buchas de maconha (foto: Divulgação/PMMG)

A Polícia Militar prendeu, na tarde desta quarta-feira, dois homens suspeitos de armazenar drogas em um apartamento do Conjunto Vila São José, no Bairro Pedro II, Região Noroeste de Belo Horizonte. Com o casal, ambos de 18 anos, foram apreendidas cerca de 700 buchas de maconha, além de duas armas de fogo.

De acordo com os militares que participaram da ocorrência, a apreensão se deu em meio ao patrulhamento diário dos policiais. Por volta das 15h, um homem, identificado como Pablo, avistou os agentes e teria saído correndo em direção ao conjunto habitacional.

Os policiais seguiram o suspeito e conseguiram identificar seu apartamento. Momentos depois, os PMs bateram na porta da casa de Pablo e quem atendeu foi a namorada do suspeito, identificada como Taís.

Ao ver os policiais, a mulher teria se assustado e tentado fechar a porta, mas foi impedida pelos agentes. Com a entrado dos agentes no apartamento, Pablo ainda tentou jogar uma porção de drogas pela janela, mas não obteve êxito. 

Após a abordagem, o casal confessou o armazenamento de drogas no apartamento e teria creditado o tráfico às más condições financeiras por quais passam. 

Conforme relata os policiais, a mercadoria estava guardada em uma espécie de sótão trancado, onde só o homem tinha  a chave do cadeado. Lá foram encontradas as cerca de 700 buchas de maconha e dois revólveres calibre 32.

Os policiais ainda apreenderam cerca de R$ 250 que estava com o casal.

O homem já é conhecido dos policiais que operam na região, inclusive já tem várias passagens por tráfico de drogas. Apesar de ter assumido ser dono da mercadoria, os policiais acreditam que Pablo está mentindo, uma vez que é considerado “peixe pequeno” no tráfico da região.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade