Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende suspeitos de explodir caixas eletrônicos em Esmeraldas

Crime ocorreu na madrugada de terça-feira e dupla foi presa hoje. Polícia Militar diz que houve redução de mais de 50% dos ataques a bancos em relação ao ano passado em Minas


postado em 22/05/2019 12:53 / atualizado em 22/05/2019 13:12

Agência foi alvo dos criminosos na madrugada de terça e a parte interna foi destruída(foto: Roberto Fernandes/Divulgação)
Agência foi alvo dos criminosos na madrugada de terça e a parte interna foi destruída (foto: Roberto Fernandes/Divulgação)


A Polícia Militar (PM) prendeu, na madrugada desta quarta-feira, dois suspeitos de envolvimento no ataque a uma agência do Bradesco nessa terça-feira em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Outros dois homens foram identificados e são procurados pela polícia. Em entrevista coletiva hoje, a PM apresentou dados que apontam para uma redução no número de ataques a instituições financeiras em Minas Gerais. 

O banco, que fica na praça central do município, foi alvo dos criminosos na madrugada. Os bandidos espalharam 'miguelitos' nas imediações do banco, objetos pontiagudos usados para furar pneus de viaturas. Esses objetos também foram espalhados na porta do 65º Batalhão da PM, furando o pneu de uma das viaturas. Os estragos no banco ficaram contidos na parte interna e destinada apenas aos caixas eletrônicos. Eles não conseguiram levar dinheiro. 

As buscas começaram ainda na terça. “Chegamos as esses dois envolvidos através de cruzamento de informações de dois crimes em Contagem, sendo um há 10 dias e o outro em abril. Por meio desses dados, da rota de fuga e do tipo de veículo utilizado conseguimos chegar a um raio de para onde o carro foi”, explicou nesta manhã o coronel Eduardo Felisberto Alves, comandante da 2ª Região da Polícia Militar. 

Os dois suspeitos foram encontrados no Bairro Nova Contagem, em Contagem, na Grande BH. “A princípio esses dois reconhecem a participação em Esmeraldas. Devido ao cruzamento de informações, temos como colocar um deles na cena do crime no Bairro Tropical (Contagem), onde tivemos uma farmácia danificada por ataque a caixa eletrônico”, disse o militar. 

Coronel Eduardo Felisberto Alves, comandante da 2ª Região da Polícia Militar, falou sobre as prisões nesta quarta(foto: Reprodução da internet/Facebook/Polícia Militar de Minas Gerais)
Coronel Eduardo Felisberto Alves, comandante da 2ª Região da Polícia Militar, falou sobre as prisões nesta quarta (foto: Reprodução da internet/Facebook/Polícia Militar de Minas Gerais)


Com os homens foram apreendidos dois celulares e um revólver calibre 38. Os dois têm passagens pela polícia por crimes diversos. Pela manhã, eles ainda aguardavam na delegacia para ratificação da prisão. A PM não divulgou os nomes dos outros homens identificados para evitar que eles fujam. Agora, a Polícia Civil segue nas investigações e, entre outros detalhes, deve apurar a participação de cada um dos envolvidos no crime. “Fato é que nós não toleramos mais esse tipo de crime no estado e as ações serão incisivas em cima desses infratores”, enfatizou o coronel. 


PM aponta redução de crimes contra bancos 


Ainda na entrevista coletiva, o major Flávio Santiago, chefe da sala de imprensa da Polícia Militar, informou que houve uma queda de 51% no número de crimes contra bancos em Minas Gerais de janeiro a abril no comparativo com o mesmo período do ano passado. Foram 19 ocorrências nos quatro primeiros meses de 2019 contra 39 de janeiro a abril de 2018. Conforme Santiago, se comparar com 2017, a queda é superior a 70%. De 2017 para cá, foram 77 presos por esse tipo de crime. 

“A prevenção tem acontecido, com as estratégias implementadas pela corporação além da repressão qualificada como aconteceu agora com a equipe da 2ª Região com a prisão desses indivíduos. É uma grande propaganda que no estado de Minas Gerais nós não permitiremos que essa ação volte a ser um problema”, explicou o major Santiago. 

O militar listou algumas ações tomadas pela polícia para coibir os ataques a bancos em Minas. “O treinamento das tropas do interior pelo próprio Batalhão de Operações Especiais (Bope) que hoje desloca e faz com que os militares tenham um treinamento com armamento de alta energia e também em defesa de disparos de armamento de alta energia. O outro ponto, o comando rodoviário da Polícia Militar implementou patrulhas táticas com quatro ou cinco policiais rodando na mesma viatura com vasto armamento de alta anergia, também de grosso calibre, para fazer frente as abordagens feitas nas rodovias, além de uma chegada mais rápida”, detalhou. O major Santiago também citou o  helicóptero Dauphin, que pode transportava um número maior de militares com mais rapidez.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade