Publicidade

Estado de Minas

Confira os 32 municípios que dividirão R$ 17 milhões para enfrentar dengue, zika e chikungunya

Reforço de enfrentamento ao vírus recebe verba destinada para Unidades de Pronto Atendimento de municípios mineiros


postado em 07/05/2019 18:09 / atualizado em 07/05/2019 18:28

Verba será destinada às Unidades de Pronto-Atendimento (UPA's)(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Verba será destinada às Unidades de Pronto-Atendimento (UPA's) (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), liberou R$ 17 milhões para Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) de 32 municípios, nesta terça-feira. O recurso é um adiantamento de seis meses da contrapartida estadual de custeio das UPA’s com funcionamento 24 horas e será destinado ao enfrentamento da dengue, zika e chikungunya no interior do estado.

De acordo com a secretaria, somados aos recursos já liberados em abril, a iniciativa totaliza aproximadamente R$ 25 milhões disponibilizados pelo governo, no intervalo de um mês, para combater as endemias.

O valor de R$ 8,3 milhões foi destinado a 200 municípios que registraram incidência alta ou muito alta da dengue, após a publicação de duas resoluções da SES, nos dias 2 e 26 de abril. A medida viabiliza a contratação de agentes de controle de endemias, capacitação de profissionais, confecção e reprodução de material gráfico informativo, aquisição de material de apoio para o combate das endemias e mutirões de limpeza.

Além disso, com o decreto de Situação de Emergência em Saúde Pública, também publicado em abril, os municípios das macrorregiões de Saúde Centro, Noroeste, Norte, Oeste, Triângulo do Norte e Triângulo do Sul do Estado puderam adquirir insumos, medicamentos e contratar profissionais com mais facilidade e celeridade.

A assessora técnica da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da SES, Rejane Letro, ressalta que esse conjunto de ações também é importante para informar continuamente sobre os cuidados com as doenças. “Não devemos descuidar nem um dia sequer, mantendo a vigilância constante e a adoção de posturas permanentes na eliminação dos focos”. Ela explica que, no período de baixa transmissão da doença, as ações são direcionadas para eliminação dos criadouros do mosquito, já que o ovo do Aedes pode durar até 450 dias sem água.

Confira abaixo os valores aproximados que cada município deve receber:

  1. Abaeté: R$ 127.500,00
  2. Araguari: R$ 225.000,00
  3. Belo Horizonte: R$ 3.540.625,00
  4. Betim: R$ 1.291.718,75
  5. Brumadinho: R$ 195.937,50
  6. Campo Belo: R$ 436.875,00
  7. Carmo do Paranaíba: R$ 127.500,00
  8. Conceição das Alagoas: R$ 150.000,00
  9. Contagem: R$ 1.762.500,00
  10. Divinópolis: R$ 750.000,00
  11. Formiga: R$ 191.250,00
  12. Francisco Sá: R$ 150.000,00
  13. Ibirité: R$ 262.500,00
  14. Igarapé: R$ 247.562,50
  15. Itabirito: R$ 255.000,00
  16. Lagoa da Prata: R$ 127.500,00
  17. Mateus Leme: R$ 255.000,00
  18. Nova Lima: R$ 211.875,00
  19. Nova Serrana: R$ 148.541,67
  20. Pará de Minas: R$ 262.500,00
  21. Patos De Minas: R$ 750.000,00
  22. Ribeirão Das Neves: R$ 640.625,00
  23. Sabará: R$ 618.750,00
  24. Salinas: R$ 262.500,00
  25. Santa Luzia: R$ 596.875,00
  26. Santo Antônio do Monte: R$ 138.125,00
  27. São Joaquim de Bicas: R$ 127.500,00
  28. Sarzedo: R$ 150.000,00
  29. Sete Lagoas: R$ 618.062,50
  30. Uberaba: R$ 1.200.000,00
  31. Uberlândia: R$ 262.500,00
  32. Vespasiano: R$ 706.250,00

Total = R$ 16.790.572,92

Conscientização da população

A Secretaria de Estado da Saúde informou que mantém várias outras medidas para combater a dengue, a zika e a chikungunya e conscientizar a população. Entre elas está a Força-Tarefa. Os profissionais visitam residências, comércios, instituições públicas e terrenos vagos para o recolhimento de objetos sem utilidade, aplicação de larvicida e para prestar orientações aos moradores, além do acompanhamento dos indicadores municipais do Programa de Monitoramento das Ações de Vigilância em Saúde do Estado de Minas Gerais (Promavs).

Até o momento, são 209.276 mil casos notificados de dengue e 25 óbitos em Minas Gerais.
 
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


Publicidade