Publicidade

Estado de Minas

'Voa Favelinha': Kdu dos Anjos comemora aprovação de projeto pela Petrobras

O Centro Cultural Lá da Favelinha investe na formação de artistas do Aglomerado da Serra, oferecendo também aos jovens oportunidade de trabalho


postado em 30/04/2019 14:00 / atualizado em 30/04/2019 21:52

A arte negra de Belo Horizonte será expandida pelo Brasil. Em uma caravana que pretende oferecer capacitação para artistas de quatro capitais brasileiras e gerar empregos para quem nem sempre tem oportunidade, o Centro Cultural Lá da Favelinha – responsável por promover a cultura hip hop no Aglomerado da Serra, no Bairro Novo São Lucas (Região Centro-Sul) – teve seu projeto “Favelinha em Ação” aprovado no edital Petrobras Música em Movimento.

 

A iniciativa vai oferecer shows, oficinas e palestras para outras comunidades ao redor do Brasil. O projeto foi um dos 19 escolhidos pela Petrobras na chamada pública, que objetiva a valorização de projetos artísticos de destaque na cena cultural, principalmente pela inovação e capacidade técnica. 

 

Idealizador do projeto Lá da Favelinha, inaugurado em janeiro de 2015, o empreendedor cultural Kdu dos Anjos comemorou a aprovação da iniciativa no edital da Petrobras. “Nós vencemos, galera. Nós vamos gerar emprego pra c*, velho. Muito artista de comunidade vai ganhar grana. Nós vamos rodar o Brasil. Glória a Deus”, disse em vídeo gravado em uma rede social.

 

(foto: Instagram/Reprodução)
(foto: Instagram/Reprodução)
 

 

A celebração tinha cerca de 20 mil visualizações na web até por volta das 19h desta terça-feira (30), o que mostra o alcance do centro cultural em BH. “Foi a maior conquista que já alcançamos, porque o edital é extremamente disputado”, contou ao Estado de Minas.

 

A chamada faz parte do Programa Petrobras Cultural. No total, 2.214 projetos foram inscritos para tentar o apoio da empresa estatal. “Com o Música em Movimento, atualizamos nossa carteira de patrocínios com projetos inovadores e recorte contemporâneo, garantindo também espaço para novos talentos”, afirma Diego Pila, gerente de Patrocínios da companhia vinculada ao governo federal.

 

A seleção foi feita pelos jurados Kamille Viola, Pedro Só, Alessandra Debs e Rodrigo Ortega. Eles levaram em consideração diversos critérios, como mérito artístico, inovação e participação do público.

 

O valor da ajuda financeira direcionada ao projeto não pode ser divulgada pelas regras do edital. Contudo, Kdu dos Anjos garante que o dinheiro será bem gasto pelo Centro Cultural Lá da Favelinha. “Essa grana eu vou multiplicar com artistas reais. O foco do projeto é dividir o bolo, vamos pegar o dinheiro e repartir ajudando na capacitação dos artistas”, ressalta.

 

Além disso, o idealizador afirma que haverá uma pessoa responsável por acompanhar os indicativos dos trabalhos. “Vão ficar o tempo todo com a gente”, completa.

 

Instalado na Rua Dr. Argemiro Rezende Costa, 191, no Aglomerado da Serra, o Lá da Favelinha incentiva, além do hip hop, a leitura dos jovens da localidade. Para isso, o centro cultural abriga um acervo de mais de 3 mil livros. As obras de diversas temáticas são emprestadas a toda comunidade belo-horizontina de maneira gratuita. Há, ainda, a promoção de aulas de inglês. 

 

*Sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade