Publicidade

Estado de Minas

Em 1° dia, Centro exclusivo para casos de Dengue no Barreiro atende 180 pessoas

A alta demanda fez com que a unidade funcionasse até às 20h30, duas horas e meia a mais do que a previsão inicial, que era de 7h às 18h


postado em 27/04/2019 22:29 / atualizado em 27/04/2019 22:52

Sete pacientes em estado grave foram transferidos de ambulância do Centro de Atendimento à Dengue para a UPA Barreiro(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Sete pacientes em estado grave foram transferidos de ambulância do Centro de Atendimento à Dengue para a UPA Barreiro (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
No primeiro dia de funcionamento do Centro de Atendimento à Dengue (CAD), na Regional Barreiro, em Belo Horizonte, 180 pessoas com sintomas da doença foram atendidas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). A alta demanda fez com que a unidade funcionasse até às 20h30, duas horas e meia a mais do que a previsão inicial, que era de 7h às 18h. 
 
Segundo a prefeitura de Belo Horizonte, os pacientes que chegaram ao Centro depois das 16h, foram orientados sobre a possibilidade de serem encaminhados à UPA Barreiro, onde o tempo de espera para atendimento, naquele momento do dia, estava menor em relação ao CAD. 
 
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que "mesmo com esse reordenamento de fluxo, nenhuma pessoa foi impedida de aguardar e recebeu atendimento no Centro de Atendimento à Dengue". 
 
Ainda neste sábado (27), sete pacientes em estado grave foram transferidos de ambulância do Centro de Atendimento à Dengue para a UPA Barreiro. De acordo com a secretaria, o fluxo de atendimento para os pacientes com sintomas de dengue é realizado em várias fases: acolhimento, classificação de risco, exames laboratoriais e consulta médica e o tempo do atendimento varia muito de acordo com a gravidade do caso.
 
A reportagem do Estado de Minas esteve no CAD Barreiro, localizada na Praça Modestino Sales Barbosa, 100, Bairro Flávio Marques Lisboa, durante a manhã deste sábado. De acordo com a subsecretária de Atenção à Saúde, Taciana Malheiros, toda a cadeia necessária de atendimento estaria disponível no CAD Barreiro. 
 
"Aqui ele (o paciente) vai passar por um exame clínico inicial, com médico e enfermeiros onde há uma classificação da doença. Em seguida é realizada a coleta dos exames laboratoriais, a hidratação oral, a hidratação venosa, e nos casos mais graves eles serão encaminhados para uma das nossas unidades de urgência (UPAs) pelo nosso transporte em saúde", afirmou.
 
Além da abertura dessas novas unidades, pelo terceiro fim de semana seguido a PBH está abrindo centros de saúde específicos da cidade aos sábados. O objetivo é desafogar as UPAs, já que a maioria dos casos suspeitos de dengue recebem a cor verde na escala de prioridades e por isso podem ser atentidos normalmente nas unidades básicas, que são os centros de saúde dos bairros. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade