Publicidade

Estado de Minas

PBH amplia número de postos abertos no fim semana para demanda de dengue

No próximo sábado, serão abertas unidades básicas de saúde em quatro regionais de Belo Horizonte. Medida é para atender moradores com sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Cidade passa por epidemia


postado em 17/04/2019 18:36 / atualizado em 19/04/2019 13:14

Posto de saúde São Paulo, no bairro de mesmo nome, na Região Nordeste de BH, ficará aberto no sábado(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press. )
Posto de saúde São Paulo, no bairro de mesmo nome, na Região Nordeste de BH, ficará aberto no sábado (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press. )

As medidas para tentar desafogar os atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Belo Horizonte, que estão com 40% a mais de demanda devido a epidemia de dengue e aumento de casos de síndromes respiratórias, serão ampliadas. No próximo sábado, quatro unidades básicas de saúde serão abertas, exclusivamente, para os moradores com sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Além das regiões Nordeste, Pampulha e Barreiro, que já tiveram a abertura dos postos no último fim de semana, Venda Nova também participará das ações. O funcionamento será de 8h até 17h.

Os moradores com sintomas da dengue e de gripe vão poder procurar os postos nas quatro regionais. Desta vez, a unidade que vai receber os atendimentos na Região Nordeste será o Centro de Saúde São Paulo, localizado na Rua Angola, 357, no Bairro São Paulo. No última fim de semana, o Centro de Saúde Alcides Lins, que fica na Rua Panema, 275, no Bairro Concórdia, que recebeu a população. Porém, ele não ficará aberto no próximo sábado.

Em Venda Nova, o posto que ficará aberto será o Andradas, na Rua Mariana Amélia de Azevedo, 21, no Bairro São João Batista. Nas outras regiões, seguem os mesmos. Na Pampulha, a unidade de saúde Santa Terezinha, na Rua Senador Virgílio Távola, 157, no bairro de mesmo nome, vai funcionar até 17h. Mesma situação que o posto de saúde Francisco Gomes Barbosa, na Avenida Nilo Cerqueira, 15, Bairro Tirol.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) a definição das unidades foi feita a partir do número de casos nas regiões em que há maior incidência de dengue. “Em casos de sintomas da doença, a orientação é que a população procure um centro de saúde. Essas unidades estão preparadas e contam com equipe capacitada para prestar o atendimento”, afirmou a pasta por meio de nota.

Belo Horizonte vive uma epidemia de dengue. Até a última sexta-feira, data do último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, a capital mineira tinha registrado 13,7 mil notificações, uma média de 135 por dia. Destes, 3.217 moradores foram diagnosticados com a doença. Outros 10.496 estão sendo investigados. Foram descartados, desde o início deste ano, por meio de investigação, 3.511 notificações. Nenhuma morte foi confirmada.

Além da dengue, o aumento das síndromes respiratórias também aumentou os atendimentos nas UPAs da capital mineira. Nessa terça-feira, a cidade registrou uma morte de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) provocada por H1N1. O paciente é um homem de 62 anos, que perdeu a vida em 17 de março. A capital concentra 69% do total de casos de SRAG por influenza registrados em Minas Gerais.

Feriado


As unidades de urgência do Hospital Metropolitano Odilon Behrens (HMOB), as nove Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) da capital mineira, Central de Internações, SAMU (192), e os  Laboratório das UPAS, funcionam normalmente nesta quinta e sexta-feira. As Unidades Básicas de Saúde (Centros de Saúde) não vão funcionar na sexta-feira da Paixão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade