Publicidade

Estado de Minas

Congonhas vai criar plano de segurança de barragens

Mineradoras que controlam 24 barragens no entorno da cidade decidiram aderir as ações propostas pelo Município. Plano deve começar a ser construído na próxima semana


postado em 16/04/2019 19:12

Congonhas é cercada por 24 barragens(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
Congonhas é cercada por 24 barragens (foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)

Monitoramento de barragens 24 horas por dia, central de comunicação com contato direto com a população, criação de aplicativos com alertas. Essas são algumas medidas que vão fazer parte do  Plano Municipal de Segurança de Barragens de Congonhas, na Região Central de Minas Gerais. A cidade abriga 23 barragens de rejeitos de mineração e uma de acumulação de água, distribuídas entre Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Vale, Gerdau e Ferrous. As empresas aderiram, voluntariamente, nesta terça-feira, a participar da criação do plano.  Caso as mineradoras não concordassem, a Prefeitura ameaçava entrar na Justiça.

O plano cria uma série de medidas de segurança a serem adotadas pelas empresas que atuam na cidade. O prazo dado pela administração municipal para a adesão das mineradoras venceria nesta terça-feira. “Tivemos uma reunião com os representantes das empresas que decidiram participar do plano. É uma política inovadora no país e que poderá ser utilizado por outras cidades”, explicou o Neylor Aarão, secretário de Meio Ambiente de Congonhas.

Na próxima semana, haverá a primeira reunião para discutir a construção do plano. Porém, algumas medidas já foram pré-determinadas pela prefeitura. “Já indicamos as diretrizes. Entre elas, está  a construção de um centro de comandos de ações emergenciais da Defesa Civil, que será uma central de monitoramento que vai receber informações de  24 estruturas do município, e será o instrumento de divulgação sobre a estabilidade das estruturas.  Sugerimos a criação de um aplicativo de celular com informações para os moradores saberem como vão se locomover a pé em uma zona de segurança”, explicou o secretário.

Está previsto, ainda, a implantação de um sistema de envio de informações via SMS com dados de estabilidade das barragens, alertas de chuva, enchentes. “Também serão elaborados materiais gráficos para colocar nas casas. Também vamos combater as fake news, pois a cidade está sofrendo com isso”, comentou Aarão.

O secretário ressalta que será criado um conselho técnico que ficará responsável por monitorar as barragens, ao menos, quatro vezes ao ano. “O grupo vai acompanhar as empresas de consultoria que fazem os laudos de estabilidade das estruturas, avaliar as documentações das empresas. Será uma terceira opinião”. A ideia é que o plano viere uma política municipal de segurança de barragem. Para isso, um projeto de lei será enviado a Câmara Municipal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade