Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende homem suspeito de estuprar e engravidar adolescente em Minas

Luciano Barbosa, segundo as investigações, estuprava a menor com a ajuda do seu filho, hoje com 17 anos. Preso nega o crime


postado em 10/04/2019 22:33 / atualizado em 10/04/2019 22:40

(foto: Reprodução/TV Alterosa)
(foto: Reprodução/TV Alterosa)

 

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, Luciano Barbosa, de 40 anos, acusado de abusar sexualmente e engravidar uma adolescente em 2017 na cidade de Carmo do Cajuru, Região Centro-Oeste de Minas Gerais. Os crimes eram cometidos ao lado do filho do suspeito, que segurava e amordaçava a vítima enquanto o pai a estuprava. Depois, segundo corporação, o papel se invertia: o garoto consumia o ato ilícito ao mesmo tempo que o homem rendia a menina.


Luciano é irmão do padrasto da vítima. Ele aproveitava o livre acesso à casa da família para cometer os abusos quando os responsáveis pela menina não estavam em casa. As investigações da polícia começaram quando o bebê nasceu, em agosto passado.


“A vítima relata que em todas as três vezes que ela foi abusada sexualmente, após o fato, o investigado Luciano vinha a ameaçá-la, bem como a família dela, de morte. Tudo caso ela viesse a relatar os fatos à polícia”, explica o delegado Weslley Castro, responsável pela investigação.


A princípio, a suspeita era de que outro adolescente, namorado da vítima, teria cometido os crimes. Contudo, um exame de DNA comprovou que o filho era de Luciano Barbosa.


Ainda assim, o suspeito nega as acusações. Ele já havia sido preso anteriormente por lesão corporal. A pena dele pode chegar a 15 anos, com acréscimo de mais 2/3 de reclusão pela gravidez da vítima.


O filho do acusado está na Espanha e também poderá responder pelo crime. A apreensão dele, segundo o delegado Weslley Castro, será requerida ao Poder Judiciário. Daí, a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol, em inglês) poderá apreender o menor para que ele cumpra sua pena no país europeu.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade