Publicidade

Estado de Minas

Perseguição policial termina com mulher morta e três feridos em Venda Nova

Caso ocorreu na noite de segunda-feira no Bairro Mantiqueira. Suspeita é de que veículo tenha sido levado de um motorista de aplicativo


postado em 02/04/2019 09:31 / atualizado em 02/04/2019 14:39

Uma adolescente de 16 anos morreu e outras três pessoas ficaram feridas em uma troca de tiros durante uma perseguição policial no fim da noite de segunda-feira no Bairro Mantiqueira, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte. As quatro pessoas estavam em um veículo com suspeita de roubo. A Corregedoria da Polícia Militar (PM) e a Polícia Civil investigam o caso.

Segundo a Polícia Militar (PM), uma equipe patrulhava a Avenida Vilarinho, na altura do Bairro Mantiqueira, quando uma pessoa denunciou ter visto um Sandero prata com pessoas ostentando armas. O veículo, segundo a denúncia, seria de um homem que trabalha para um aplicativo de transportes e estaria desaparecido desde o último domingo, 31 de março.

Os militares montaram uma ação de cerco e bloqueio, pediram apoio de outras viaturas e conseguiram alcançar o Sandero, mas o motorista não obedeceu a ordem de parada e fugiu em alta velocidade. A perseguição continuou e os militares perderam o veículo de vista, mas outra viatura alcançou os suspeitos.

De acordo com a PM, a viatura emparelhou com o Sandero. Os militares visualizaram ao menos duas pessoas armadas. Consta no boletim de ocorrência que os policiais diminuíram a velocidade. Neste momento, os ocupantes do carro teriam apontado arma para o veículo policial. Diante disso, segundo o registro, os militares atiraram. Os ocupantes do automóvel teriam revidado. Em seguida, bateram no meio-fio.

Ao desembarcar, os policiais identificaram dois casais. Os que estavam no banco da frente, Laissa Vitória Queiroz de Brito, de 19 anos, e Caio Alves Simões, 18,  sofreram escoriações. O homem e a mulher que estavam no banco de trás, identificados apenas por Gabriel, de 20, e Mikaela, de 16, haviam sido baleados. Eles foram socorridos no Hospital Risoleta Neves, onde a garota morreu.

O jovem está internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) da unidade sob escolta. O casal que estava na parte da frente do veículo tinha lesões leves provocadas pela batida. De acordo com a PM, Caio tem passagens por tráfico de drogas, ameaça, receptação, roubo e lesão corporal. Laissa também já foi detida por tráfico de drogas e também consta em uma outra ocorrência de veículo roubado recuperado como coautora.

No boletim de ocorrência, consta um relato de Laíssa que teria dito aos policiais que os ocupantes do veículo seriam moradores da Pedreira Prado Lopes. Confessou, segundo a PM, que estavam com duas armas, e que Caio atirou contra os militares. Disse, ainda, que o tiro que acertou a adolescente pode ter partido da arma dele.

Os militares entraram em contato com familiares do proprietário do veículo que disseram que ele está desaparecido desde 31 de março. Duas armas foram apreendidas dentro do carro. A ocorrência é acompanhada pela Polícia Civil e pela Corregedoria da Polícia Militar.


Publicidade