Publicidade

Estado de Minas

Estátua de Carlos Drummond de Andrade é alvo de vandalismo no Centro de BH

Monumento teve a mão direita arrancada


postado em 01/04/2019 19:32 / atualizado em 01/04/2019 23:23

As esculturas foram produzidas pelo artista plástico Léo Santana e inauguradas em 2003(foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS)
As esculturas foram produzidas pelo artista plástico Léo Santana e inauguradas em 2003 (foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS)
A estátua de Carlos Drummond de Andrade, que fica no Centro de Belo Horizonte, foi depredada ao ter a mão direita arrancada. A obra Praça da Poesia com as esculturas dos amigos Drummond e Pedro Nava fica entra a Rua Goiás e a Rua da Bahia.

As estátuas, com 200 kg e 1,70 m de altura cada, retratam o que seria uma conversa entre os amigos que se destacaram na cena literária brasileira. As esculturas foram produzidas pelo artista plástico Léo Santana e inauguradas em 2003, ano em que os escritores completariam 100 anos. Carlos Drummond de Andrade e Pedro Nava se conheceram na capital e iam com frequência ao Café Estrela, local muito visitado por escritores da época.

 

As estátuas, com 200 kg e 1,70 m de altura cada, retratam o que seria uma conversa entre os amigos que se destacaram na cena literária brasileira(foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS)
As estátuas, com 200 kg e 1,70 m de altura cada, retratam o que seria uma conversa entre os amigos que se destacaram na cena literária brasileira (foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS)
O ataque à escultura de Drummond é o mais recente ato de vandalismo contra monumentos públicos em Belo Horizonte.  Em 2015, foi a vez da estátua do escritor Roberto Drummond, na Praça Diogo de Vasconcelos, na Região da Savassi, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, sofrer com a ação de vândalos: as escultura em bronze foi sujada com tinta vermelha. 

Em 2014, a menos de 50 metros da sede do Comando Geral da Polícia Militar, na Praça da Liberdade, vândalos picharam as esculturas dos escritores Otto Lara Resende, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos e Hélio Pellegrino, na entrada da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) está apurando a depredação do monumento no Centro de BH.



 

 

 


Publicidade