Publicidade

Estado de Minas

Ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman vai depor no Senado na próxima semana

Inicialmente, ele iria à Casa nesta quinta-feira, mas alegou problemas de saúde. Nesta terça-feira, senadores aprovaram um plano de trabalho para a CPI que investiga a tragédia de Brumadinho


postado em 19/03/2019 21:18 / atualizado em 19/03/2019 21:45

(foto: Geraldo Magela/Agência Senado)
(foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

Senadores definiram uma nova data para o ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman, comparecer à comissão parlamentar de inquérito (CPI) que investiga tragédia de Brumadinho e apura problemas em outras barragens do país. O executivo deverá depor no Senado na quinta-feira da próxima semana, 28 de março, às 9h.

Inicialmente, Schvartsman compareceria ainda nesta quinta-feira, mas alegou que não conseguiria ir à Brasília devido a problemas de saúde. Ele se submeteu a um procedimento oftamológico (facectomia no olho direito) nos últimos dias.

Além de uma nova data para a ida do ex-presidente da Vale à comissão, os senadores aprovaram o plano de trabalho do colegiado, convocando outros dirigentes da mineradora para depor, além de agendar visitas a outras barragens que apresentam riscos de rompimento.

Comissão| Durante a discussão desta terça-feira, chegou-se a um acordo quanto à duração da comissão. Em vez dos 180 dias propostos inicialmente, a CPI vai durar 120. De acordo com a presidente da comissão, Rose de Freitas (Pode-ES), a alteração tem como objetivo acelerar as investigações. 

Além disso, a presidente propôs que o nome do colegiado seja “CPI de Brumadinho e Barragens”, uma vez que a ideia da comissão é que outras estruturas com risco de rompimento sejam avaliadas pelo colegiado.

Visitas| As primeiras visitas aprovadas serão feitas às barragens Mina Engenho 1 e Mina Engenho 2, localizadas em Rio Acima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.  Em Minas Gerais, os senadores também realizarão vistorias na barragem Casa de Pedra, em Congonhas.
Em outros estados, a previsão é de que os integrantes da comissão visitem a barragem Mário Cruz, em Pedra Branca do Amarapi, no Amapá.

De acordo com o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), essas barragens ou estão abandonadas ou possuem risco iminente de rompimento.

Convocações

Foram aprovados requerimentos convocando os auditores da empresa Tuv Sud que atestaram a estabilidade da barragem, Makoto Namba, Arsenio Negro Junior e André Yassuda. Além disso, foi solicitado documentos e à íntegra dos relatórios produzidos e entregues às autoridades.

Engenheiros, diretores e ex-diretores da Vale que atuavam à época do acidente também prestarão depoimento: Marilene Araújo, Felipe Rocha, César Grandchamp, Rodrigo Melo, Alexandre Campanha, Cristina Malheiros, Artur Ribeiro, Hélio Cerqueira, Renzo Carvalho, Joaquim Toledo, Gerd Poppinga, Luciano Pires, Lúcio Cavalli e Silmar Silva.

Eles foram presos por duas vezes. Na última ocasião, ficaram menos de 12 horas presos, já que foram detidos na manhã e 
o ministro do STJ Nefi Cordeiro concedeu habeas corpus  a eles na noite do mesmo dia.

Também foi pedido acesso às imagens das câmeras de monitoramento e segurança e do plano de segurança da barragem de Brumadinho entregues às autoridades, além de requerimentos com os procedimentos de trabalho da própria CPI, como o apoio da Polícia Federal, do Ministério Público, do Tribunal de Contas da União e da Agência Nacional de Mineração.

(Com informações do Senado Federal)

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade