Publicidade

Estado de Minas

'Há indícios suficientes de autoria das responsabilidades' afirmou delegado sobre prisão de engenheiros da Vale

Engenheiros da Tüv Süd e da Vale, se apresentam na Polícia Civil pela investigação da tragédia de Brumadinho


postado em 14/03/2019 15:51 / atualizado em 14/03/2019 16:00

Delegado Bruno Tasca Cabral, chefe do Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) (foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)
Delegado Bruno Tasca Cabral, chefe do Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) (foto: Leandro Couri/EM/D.A. Press)

Já estão em Belo Horizonte os dois engenheiros da Tüv Süd, investigados pela tragédia de Brumadinho. Makoto Manba e André Yassuda viajaram de São Paulo em carro particular e chegaram por volta das 14h30.

Embora a entrada estivesse prevista pela porta principal, os dois engenheiros chegaram pelo estacionamento, em outro ponto de acesso, e assim, desviaram da imprensa. Onze funcionários da Vale que também tiveram a ordem de prisão decretada se apresentaram no Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), no Bairro de Lourdes, na Região Centro-Sul de BH pela manhã. 

O delegado Bruno Tasca Cabral, chefe do Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) disse que a decisão do TJMG reforça o argumento da força-tarefa e reafirma a lei da prisão temporária, que foi feita de forma legal. “Há indícios suficientes de autoria das responsabilidades”, afirmou. Ele reiterou que, em liberdade, os investigados poderiam comprometer as investigações. “A medida é para evitar que sejam combinadas teses e responsabilidades.”

Os 13 presos serão encaminhados para o Instituto Médico-Legal (IML) para exame de corpo de delito. Depois, os homens vão para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, e as mulheres, para a Penitenciária Estévão Pinto, na capital. Bruno Tasca lembrou que o pedido de prisão temporária é prorrogável por mais 30 dias, por meio de ordem judicial.

Além dos engenheiros da Tüv Süd, foram revogadas as liberdades dos seguintes investigados: do geólogo César Augusto Paulino Grandchamp; do gerente de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do complexo minerário, Ricardo de Oliveira; e do gerente-executivo operacional Rodrigo Artur Gomes Melo.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade