Publicidade

Estado de Minas

Belo Horizonte tem redução de 50% em roubos durante período de férias

Resultado das operações de natal e férias foram divulgados nesta terça-feira. Maior efetivo e utilização de tecnologias foram fatores determinantes, diz PM


postado em 12/02/2019 15:07

Resultado das operações de fim de ano e férias foram apresentados pela Polícia Militar (PM) em coletiva de imprensa pela tenente Gisele Couto, assessora de comunicação do Comando de Policiamento da Capital (CPC)(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Resultado das operações de fim de ano e férias foram apresentados pela Polícia Militar (PM) em coletiva de imprensa pela tenente Gisele Couto, assessora de comunicação do Comando de Policiamento da Capital (CPC) (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Redução em 50% de roubos a transeuntes e 49% em estabelecimento comerciais, e de 45,8% de roubos a residências e 15% a imóveis vazios durante viagens dos moradores, foram números resultantes de operações de fim de ano e de férias, apresentados pela Polícia Militar (PM) em coletiva na manhã de hoje, pela tenente Gisele Couto, assessora de comunicação do Comando de Policiamento da Capital (CPC).

Mesmo com a redução, os números ainda são altos. Os ocorrências de roubos a residências caiu de 740 em 2017 para 635 em 2018. Somente no mês de janeiro foram 13 roubos a residências neste ano, contra 24 no ano passado. A PM registrou 1.029 furtos ao comércio no ano de 2017 contra 1.133 no ano passado.

Esses resultados foram atribuídos a “um conjunto de medidas estratégicas de policiamento”, como o monitoramento de agentes criminosos repetentes, de acompanhamento do sistema de tornozeleiras, a ocupação dos grandes corredores pelas bases de apoio, bloqueio de rotas de fuga diagnosticadas pelo comando, e a potencialização da análise criminal.

A participação da comunidade também é fundamental. “O morador e comerciante conhece a normalidade do local, a presença de pessoa diferente ou veículo com movimentos suspeitos a PM é acionada de imediato, o que facilita e agiliza o atendimento”, explicou a tenente.

Vários equipamentos também auxiliaram na promoção da segurança, como as câmeras do “Olho Vivo” que permitem monitoramento diferenciado, adiantando a chegada dos militares nas situações de crimes, o sistema de câmeras acopladas em corredores que denunciam veículos com queixa de furto ou roubo transitando pelo local.

Os números apresentados pela PM indicam também a necessidade de melhorias no sistema de combate à reincidência. Segundo a tenente, houve um caso em que um criminoso que foi preso 22 vezes, em janeiro deste ano, por furto de cabos de energia, crime que pode levar a prisão dentre um e 8 anos.

A morosidade na aplicação da lei pode ser apontada pelo alto índice de repetição dos mesmos crimes. “Às vezes, antes de ser julgado no primeiro caso, o indivíduo repete o delito várias outras vezes”. O monitoramento desses casos pode reduzir esses números. Segundo a PM o planejamento é fundamental no combate. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade