Publicidade

Estado de Minas

MPMG reforça pedido de plano emergencial para animais em Barão de Cocais

Ministério Público afirma que plano em Brumadinho não é satisfatório. Em Itatiaiuçu, animais recebem atendimento veterinário


postado em 12/02/2019 14:56 / atualizado em 12/02/2019 15:32

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press)

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Coordenadoria Estadual de Defesa da Fauna (Gedef), reforçou junto à Vale a urgente necessidade de apresentar um plano emergencial que contemple ações de localização, resgate e cuidado dos animais domésticos em possível rompimento de barragem em Barão de Cocais, na Região Central do estado.

Na última sexta-feira, o MPMG expediu uma Recomendação à Vale para que o plano fosse elaborado. Porém, conforme a promotora de Justiça Luciana Imaculada de Paula, coordenadora do Gedef, “a Vale apresentou um plano emergencial, que entendemos não ser satisfatório, por faltarem elementos básicos, como cronograma e a logística da retirada”, ressalta.

Ainda de acordo com a coordenadora do Gedef, “por causa disso, o MPMG requisitou a complementação da recomendação, concedendo prazo de 24h. Caso não haja a complementação no prazo estipulado, a questão terá que ser judicializada”, destaca.

A promotora de Justiça explica ainda que, “o IBAMA já notificou a Vale pelo mesmo motivo, e a Defesa Civil deu prazo até quarta feira, dia 13, para que a Vale retire os animais da área de risco”.

Medidas a serem adotadas pela Vale

A recomendação pede que o plano, além de localização, resgate e cuidado dos animais domésticos deverá contemplar ainda o afugentamento, monitoramento e resgate de fauna silvestre, no caminho da lama, com vistas a minimizar os danos ao meio ambiente, em especial às espécies da fauna.

De acordo com o MPMG, o plano deverá prever, entre outras igualmente relevantes, a execução das seguintes medidas:
  • composição de equipe técnica qualificada, preferencialmente habilitada em manejo etológico, para realizar ações de busca, resgate e cuidados de animais;
  • disponibilização de equipamentos, maquinários, veículos (aéreos ou terrestres) e suprimentos necessários à busca, resgate e cuidados dos animais;
  • diagnóstico das áreas atingidas, visando a localização, identificação e quantificação de animais isolados.
Quanto ao resgate imediato dos animais isolados, o plano deverá prever a provisão de alimento, água e cuidados veterinários àqueles animais cujo resgate não for tecnicamente recomendável. Essas medidas deverão ser adotadas até o resgate dos animais e sua entrega aos seus tutores. Caso o animal não possa ser entregue ao seu dono, deverá ser mantido em abrigo que assegure condições de bem-estar inerentes a cada espécie.

Logo após a elaboração do plano, a Vale deverá submetê-lo ao Comando da Operação de Resgate, do qual fazem parte o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, organizado para tratar das medidas emergenciais referentes à evacuação de animais, a fim de compatibilizar a necessidade de resgate com a segurança das pessoas envolvidas na operação.


Itatiaiuçu

Segundo a coordenadora do Gedef, no Povoado de Pinheiros, em Itatiaiuçu, na Região Central do estado, o recolhimento dos animais já foi iniciado pela Arcelor Mittal. Os animais estão sendo acompanhados por veterinários e a realocação está prevista para ser concluída nesta quarta-feira, 13.

Animais de pequeno porte estão nos hotéis juntamente com os donos que foram desalojados de suas residências.

Brumadinho

Sobre as providências a serem tomadas em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a promotora de Justiça Luciana Imaculada de Paula explica que as medidas adotadas pela Vale não estão contemplando todas as expectativas. “Estamos negociando a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que irá propiciar melhorias no serviço de atendimento emergencial que a Vale está prestando, pois existem várias situações de risco envolvendo os animais em Brumadinho.

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade