Publicidade

Estado de Minas

Chuva suspende buscas em Brumadinho por risco aos bombeiros

Segundo os bombeiros, depois da chuva será feita uma vistoria para retomada dos trabalhos


postado em 04/02/2019 07:24 / atualizado em 04/02/2019 11:05

Chuva que começou na madrugada oferece riscos às equipes que trabalham nas buscas(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Chuva que começou na madrugada oferece riscos às equipes que trabalham nas buscas (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)


Os trabalhos do 11º dia de buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Grande BH, foram suspensos temporariamente no início da manhã desta segunda-feira. O motivo é a chuva forte na região do desastre. 

“A perspectiva é de que o rejeito remanescente na barragem B1 (a mesma do acidente) possam se desprender e deslocar na zona quente, trazendo risco aos bombeiros”, informou o tenente-coronel Anderson Passos, do Corpo de Bombeiros, pouco antes das 6h. “Após as chuvas será feita uma vistoria aérea para identificação das áreas que permitam a retomada dos trabalho”, disse. 

As aeronaves também vão permanecer nas bases em solo, em Belo Horizonte, por causa das condições meteorológicas. Enquanto choveu em Brumadinho, na capital mineira houve vento forte e trovoadas em diversas regiões. 



Por volta das 8h30, a chuva parou e o tempo começou a abrir. Um helicóptero Arcanjo, dos bombeiros, estava a caminho da cidade para um sobrevoo de avaliação. Já às 9h, voltou a chover. Enquanto o tempo segue fechado para voos, bombeiros percorrem o Rio Paraopeba de barco ou caminhado pelas margens à procura de vítimas.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) atualizou o número de desaparecidos do desastre de Brumadinho na noite de domingo. Segundo informações da Cedec, são 212 pessoas não localizadas – 14 a menos que o último boletim, que trazia o dado de 226 vítimas sumidas. Segundo o último levantamento divulgado pela Vale, a Polícia Civil já identificou 114 dos 121 corpos resgatados. 

Ver galeria . 26 Fotos  Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão)Gladyston Rodrigues/EM/D.A press
Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão) (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press )
 


Publicidade