Publicidade

Estado de Minas

Vale começa a registrar moradores para repassar os R$ 100 mil por desastre em Brumadinho

Processo começa amanhã. Valor será destinado às famílias que têm membros mortos ou desaparecidos no rompimento da barragem da mineradora na última sexta


postado em 30/01/2019 09:54 / atualizado em 30/01/2019 23:16

Ver galeria . 5 Fotos De propriedade da mineradora Vale, a barragem 1, situada na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, deixou pessoas mortas, desaparecidos e uma devastação ambientalTúlio Santos/EM/D.A Press
De propriedade da mineradora Vale, a barragem 1, situada na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, deixou pessoas mortas, desaparecidos e uma devastação ambiental (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press )


Começa às 14h desta quinta-feira, 31 de janeiro, o registro das pessoas responsáveis por receber o repasse de R$ 100 mil destinado às famílias que têm parentes mortos ou desaparecidos após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

“O atendimento será feito das 14h às 18h na quinta-feira (31) e das 8h às 18h nos demais dias, prioritariamente na Estação Conhecimento de Brumadinho. Haverá também um segundo ponto, no Centro Comunitário Feijão”, informou a mineradora por meio de nota divulgada nesta quarta-feira. “Estão aptos a receber a doação representantes de empregados da Vale, de trabalhadores terceirizados e de pessoas da comunidade falecidos ou desaparecidos, conforme lista oficial validada pela Defesa Civil e disponibilizada no site www.vale.com”, diz a empresa. 

Apenas um representante de cada família poderá ser registrado para receber o valor, seguindo esta ordem de preferência: 

1ª - responsável legal por filhos menores
2ª - cônjuge ou companheiro em regime de união estável
3ª - descendentes
4ª - ascendentes

"Teremos informações sobre o início dos pagamentos ao longo do dia, imagino que será rápido. Será um cadastro simples e a ideia que seja rápido. O pagamento vai depender caso a caso", afirmou Edson Ribeiro, coordenador da Estação Conhecimento, em entrevista coletiva nesta manhã. "Não é a disponibilização do dinheiro, que é imediata, mas saber quem da família que vai receber, pois temos que entregar para a pessoa mais próxima. Às vezes, a pessoa que está aqui não é a mais próxima e teremos de ir atrás" comentou.

Na manhã desta quarta-feira, sexto dias depois do desastre, familiares ainda aguardam atualização da lista. Ainda não foi divulgada nova listagem nesta quarta.

A Vale explica que para evitar filas, os representantes deverão comparecer ao local seguindo a ordem alfabética do primeiro nome do familiar falecido ou desaparecido (confira a tabela ao final da matéria). Quem não puder comparecer no dia marcado, deverá ir a um dos locais indicados a partir da próxima quarta-feira, 6 de fevereiro. 

É preciso apresentar documentação comprobatória de vínculo familiar e dados pessoais originais e atualizados: nome completo, RG, CPF, data de nascimento, endereço completo, e-mail, telefone e dados bancários. 

O anúncio do repasse dos R$ 100 mil foi feito na última segunda-feira, 28 de janeiro, pelo diretor-executivo de Finanças e Relação com Investidores da Vale, Luciano Siani. Na ocasião, o executivo afirmou que o pagamento da quantia não tem relação com as indenizações que podem ser cobradas da mineradora futuramente. 

(foto: Vale/Divulgação)
(foto: Vale/Divulgação)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade