Publicidade

Estado de Minas

Três pacientes da tragédia de Brumadinho devem ter alta no HPS nesta terça-feira

Os pacientes liberados são uma mulher de 59 anos, um jovem de 19 e um homem de 55


postado em 28/01/2019 17:56

Em coletiva, Marcelo Lopes Ribeiro fala sobre o estado clínico das vitimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho(foto: Ramon Lisboa/EM)
Em coletiva, Marcelo Lopes Ribeiro fala sobre o estado clínico das vitimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (foto: Ramon Lisboa/EM)
Três pacientes devem receber alta, nesta terça-feira, do Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII. Trata-se de uma paciente de 59 anos, que teve um pico de hipertensão. O marido está desaparecido. Está previsto de ir para casa também o filho dela, de 19 anos, que tem histórico de problemas respiratórios. Um homem de 55 anos, resgatado do meio da lama, será liberado dependendo dos resultados de exames de sangue.

A informação foi repassada na tarde desta segunda, pela Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig). De acordo com o diretor assistencial da Rede Fhemig, Marcelo Lopes Ribeiro, nove pessoas deram entrada na unidade em virtude da tragédia de Brumadinho. Duas já tiveram alta.

Das sete que ainda restam, quatro pacientes ainda ficarão no HPS, sem previsão de alta. Segundo Ribeiro, um paciente de 55 anos que teve traumatismo craniano exige muita atenção. Uma mulher de 43, com traumatismo torácico, precisa de exames periódicos para verificar se a lesão vai progredir. Uma outra mulher, que por ter ficado na lama por muito tempo, teve lesões também.

O caso mais preocupante é de uma adolescente de 15 anos que teve múltiplas fraturas na pelve, bacia e tórax. Ela foi operada, ficou em coma induzido e acordou depois de suspensa a sedação. “A primeira pergunta que ela fez foi sobre os familiares dela. Parece que não se lembrava do que havia ocorrido”, contou o médico. A garota precisa de tratamento complementar e deve fazer outras cirurgias ao longo da internação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade