Publicidade

Estado de Minas

'Vale tem toda culpa de matar gente inocente': morador de Brumadinho faz poesia em protesto

Hélcio Francisco Campos, de 78 anos, busca pela sobrinha desaparecida, que trabalhava na mineradora


postado em 28/01/2019 17:53 / atualizado em 29/01/2019 14:14

(foto: Gabriel Ronan/EM/D.A.Press)
(foto: Gabriel Ronan/EM/D.A.Press)

Brumadinho - “A Vale invadiu as terras; de nossa Minas Gerais; está destruindo tudo; largando tudo para trás; os parentes que morreram; não vão voltar mais; acabou com a natureza; matou peixe e animais”. Foi com essas palavras que o morador de Mário Campos, Hélcio Francisco Campos, de 78 anos, expressou sua indignação, por meio de uma poesia, com o rompimento da barragem, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.



O aposentado busca pela sobrinha desaparecida, que trabalhava na Vale. “Eu sou só um aposentado, mas o que a Vale está fazendo com nossas Minas Gerais precisa acabar. Isso não pode acontecer. Gente inocente indo embora e eles não fazem nada. Até hoje não resolveram Mariana e aqui vai ser do mesmo jeito”, lamentou.

A família está desesperada. Eles buscam por Gislene Conceição Amaral, de cerca de 40 anos, que trabalhava na administração da Vale.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade