Publicidade

Estado de Minas

Caso de Brumadinho pode se tornar o pior acidente de trabalho do Brasil

Se número de mortos passar de 69, estouro de barragem supera total de trabalhadores que morreram no desabamento do pavilhão de exposições do Parque da Gameleira


postado em 28/01/2019 10:21 / atualizado em 28/01/2019 11:35

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)


O procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury, disse ao jornal O Estado de S. Paulo que o rompimento da barragem em Brumadinho (MG) pode ser considerado o maior acidente de trabalho da história do País, caso o número de mortos ultrapasse 69 - total de trabalhadores que morreram no desabamento do pavilhão de exposições do Parque da Gameleira, em Belo Horizonte, em 1971.

Desabamento do Parque de Exposições da Gameleira, em BH, deixou 69 mortos (foto: Arquivo O Cruzeiro/EM - 04/02/1971)
Desabamento do Parque de Exposições da Gameleira, em BH, deixou 69 mortos (foto: Arquivo O Cruzeiro/EM - 04/02/1971)


"Esse (de Brumadinho), infelizmente, parece que vai se sobrepor (ao de BH)." Há 287 desaparecidos, entre empregados próprios e terceirizados da Vale e a comunidade. Ao todo, há 58 mortes confirmadas até a noite de hoje. Uma força-tarefa do Ministério Público do Trabalho em Minas foi criada para acompanhar o caso.

A primeira medida a ser adotada pelo grupo é assegurar o pagamento de salário aos trabalhadores sobreviventes e às famílias dos desaparecidos até que sejam encontrados. Entre as medidas que podem ser adotadas depois, estão indenizações individuais e por danos morais coletivos. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade