Publicidade

Estado de Minas

Após protestos, autoridades criam comissão para moradores atingidos por tragédia

Na tarde deste domingo, dezenas de pessoas se manifestaram contra a falta de diálogo com o comitê de crise e as falhas nas atualizações das listas de desaparecidos


postado em 27/01/2019 22:50

Cinco moradores de Brumadinho, na Grande BH, vão participar ativamente das reuniões do comitê de crise. Essa comissão foi eleita pelos próprios moradores neste domingo depois da mobilização das famílias por notícias durante a tarde, quando dezenas de pessoas pediram intervenção do Exército nas buscas. O grupo fica situado na Estação do Conhecimento, localizada na Unidade de Pronto-Atendimento da cidade, e recebe todas as informações das autoridades com antecedência.

Ver galeria . 28 Fotos Alexandre Guzanshe/EM/D.A.Press
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A.Press )


A novidade nasceu de uma articulação do coronel Evandro Borges, coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais. Segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, do mesmo órgão, a comissão receberá, antes dos boletins diários repassados à imprensa, uma folha impressa com os dados atualizados das buscas.

A manifestação dos familiares aconteceu por volta das 15h. Naquele momento, os trabalhos dos bombeiros estavam interrompidos diante da ameaça do rompimento da barragem VI. Certo é que, momentos depois da mobilização, a corporação anunciou que a estrutura estava estabilizada e os militares voltariam às zonas quentes.

Até o momento, 58 mortes foram confirmadas pelas autoridades. São 305 desaparecidos até a publicação deste texto.


Publicidade