Publicidade

Estado de Minas

Santuário da Piedade se torna 'irmão' ao da Basílica da Anunciação, em Israel

Missa celebra a 'irmandade' entre as basílicas em honra à Nossa Senhora da Piedade e a de Nossa Senhora da Anunciação, de Nazaré, construída no local onde a Virgem Maria recebeu a visita do Anjo Gabriel


postado em 09/12/2018 09:31 / atualizado em 10/12/2018 08:42

O arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo celebra missa na Ermida da Padroeira de Minas Gerais(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
O arcebispo dom Walmor Oliveira de Azevedo celebra missa na Ermida da Padroeira de Minas Gerais (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)


Uma pedra branca com 15 centímetros de comprimento, guardada numa caixa artesanal de madrepérola, torna-se símbolo de união e fé entre Minas e a Terra Santa. Durante missa celebrada na manhã de deste domingo no Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade, no alto da Serra da Piedade, em Caeté, na Grande BH, o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, recebeu a relíquia das mãos do reitor da Basílica da Anunciação, em Nazaré, no Norte de Israel, frei franciscano Bruno Varriano, que veio ao Brasil trazendo também o Gemellaggio ou decreto de fraternidade, que torna irmãos os dois santuários. O documento redigido em latim registra os laços de amizade entre povos e indica a evangelização, a preservação de bens históricos e a veneração a Nossa Senhora – “do nascimento de Jesus à ressurreição de Cristo”, lembrou o arcebispo, informando que o fragmento ficará no altar da antiga ermida do século 18 e todo dia 25, começando no Dia do Natal, os fiéis poderão tocá-lo.

A pedra traz significado especial para os católicos. No país, apenas o Santuário Nossa Senhora D’Abadia de Muquém, na diocese de Uruaçu, em Goiás, tem o título e o símbolo mariano. Ambos foram retirados da chamada Casa de Maria, a gruta onde, segundo as Escrituras, Nossa Senhora recebeu a visita do anjo Gabriel para anunciar que Deus a escolheu para ser a mãe de Jesus. A narrativa da anunciação está no Evangelho de Lucas, capítulo 26, conforme os padres.

Segundo a tradição cristã, o local sagrado onde ocorreu a aparição está preservado dentro da Basílica da Anunciação, em Nazaré, na Galileia. Todos os anos, Nazaré recebe milhares de peregrinos, a exemplo da Serra da Piedade, que tem duas basílicas e número de visitantes estimado em 500 mil pessoas por ano. “Esta pedra é a maior já ofertada a um templo do Brasil, sendo retirada do lado esquerdo da gruta. Já a caixa de madrepérola foi feita por artesãos cristãos de Nazaré”, contou o frei Bruno Varriano. 

Fiéis tocam a pedra da Casa de Maria, como é conhecida a Basílica da Anunciação(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Fiéis tocam a pedra da Casa de Maria, como é conhecida a Basílica da Anunciação (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)


COLABORAÇÃO
 “Esta é uma forma de dizer obrigado aos mineiros”, disse frei Bruno, ao destacar a colaboração espiritual e material, fruto de coletas nas missas, para ajudar no trabalho dos franciscanos que chegaram à Terra Santa há 801 anos e administram 95% dos santuários católicos existentes na região (Israel e Palestina), com obras sociais em áreas de conflito e guerra civil. “Atuamos também na Síria, no Líbano, na Jordânia, em algumas ilhas gregas e locais onde o Isis (Estado Islâmico) está presente. São muito poucos os cristãos, em torno de 1,8%, e enfrentamos situações difíceis no dia a dia, mas continuamos”, afirmou o religioso, ao lado do representante da Custódia da Terra Santa em Minas, frei Francisco Alexandre Viana, conhecido como frei Chico.

Em retribuição à relíquia, dom Walmor presentou a Basílica da Anunciação com uma réplica da imagem de Nossa Senhora da Piedade, padroeira de Minas, feita pelo artesão Joel Matias dos Santos, que acrescentou um resplendor em prata maciça à peça. Para o reitor do Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade, padre Fernando César do Nascimento, o presente oferecido pela Terra Santa, a duas semanas do Natal, mostra o reconhecimento internacional para com o santuário e também a devoção dos mineiros.

Padre Fernando César acredita que a relíquia dará mais visibilidade à Serra da Piedade, podendo atrair ainda mais visitantes, no momento em que cresce o movimento para reivindicar o título de Patrimônio da Humanidade para o conjunto paisagístico, arquitetônico e ambiental no topo da montanha. “O grande gargalo ainda é a BR-381, chamada de Rodovia da Morte. Aqui falamos da vida e queremos que ela seja remodelada para evitar acidentes”, disse o reitor, que participou da missa presidida por dom Walmor e concelebrada pelos dois franciscos e pelo pró-reitor do santuário local, padre Carlos Antônio da Silva. 

Dom Walmor Oliveira de Azevedo recebe a pedra relíquia da Basílica da Anunciação, na Terra Santa, das mãos do reitor desse santuário, frei Bruno Varriano(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Dom Walmor Oliveira de Azevedo recebe a pedra relíquia da Basílica da Anunciação, na Terra Santa, das mãos do reitor desse santuário, frei Bruno Varriano (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)


DEVOÇÃO
 Eram 8h em ponto, na manhã gelada e de vento cortante, quando os padres iniciaram a missa com a participação de fiéis na ermida singela que guarda a imagem esculpida por Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814). “A Basílica da Anunciação é o lugar santo da encarnação do Verbo, do ‘sim’ da Virgem Maria. Estamos felizes com este dia, com o dom da irmandade. Vocês podem me perguntar: E agora? Respondo que precisamos da força espiritual, pois a fé é o caminho para o cristão trilhar. A espiritualidade fortalece nossa inteligência e as decisões”, disse o arcebispo, reiterando que a ajuda material se torna fundamental para lugares sagrados “muitas vezes ameaçados”. Frei Bruno ressaltou que os católicos que visitarem a basílica da Serra da Piedade terão a mesma indulgência plenária da Basílica da Anunciação. De acordo com especialistas, o benefício significa “a graça de purificar o peso que os pecados têm sobre nós”.

Logo após a bênção, formou-se uma fila diante do altar para que os fiéis tocassem a pedra carregada pelo pró-reitor. Morador da cidade vizinha de Sabará, Salvino Dias da Silva foi um dos primeiros: “Estou emocionado. É um momento importante”, resumiu. Moradora de Caeté e trabalhando como secretária na capital, Vanda Lúcia Pinto também se comoveu. “Uma cerimônia simples, que fortalece a fé católica. Se nem todo mundo pode ir à Terra Santa, um pedacinho da Basílica da Anunciação vem até nós”, observou com um sorriso.

Laços de união


Basílicas da Piedade, em Minas 

Com mais de 250 anos de peregrinação, a Serra da Piedade, em Caeté, na Grande BH, abriga há um ano, por determinação do papa Francisco, duas basílicas: a Basílica Ermida da Padroeira de Minas Gerais – Nossa Senhora da Piedade, considerada a menor do mundo e ocupando o templo do século 18, no qual fica a padroeira do estado, Nossa Senhora da Piedade, e a Basílica Estadual Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais, ex-Igreja Nova das Romarias, construída em 1970. Chamada de “magnífica arquitetura divina”, pelo segundo arcebispo de BH, dom João de Resende Costa (1910-2007), o local, que recebe meio milhão de romeiros por ano, tem uma longa história de devoção.

A fama do lugar teria começado entre 1765 e 1767, conforme a tradição oral, com a aparição de Nossa Senhora, com o Menino Jesus nos braços, a uma menina, muda de nascimento, cuja família vivia na comunidade de Penha, a seis quilômetros da serra. Naquele momento a criança teria recuperado a fala. O episódio tocou o coração do português Antônio da Silva Bracarena, então na colônia para ganhar dinheiro. Ele se converteu e decidiu dedicar a vida à construção de uma capela no lugar onde ocorrera o milagre. O singelo templo dedicado a Nossa Senhora da Piedade começa a ser erguido em 1767 e, mais tarde, ganha a imagem esculpida por um jovem de Ouro Preto, que se tornaria conhecido como mestre do Barroco mineiro – Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814), que tem lembrados este mês os 280 anos de seu nascimento.

Basílica da Anunciação, em Israel

Gente do mundo inteiro visita a Terra Santa para conhecer os lugares sagrados do cristianismo. Em Israel, os olhos se voltam para Jerusalém e também para Nazaré, onde está a Basílica da Anunciação. Conforme a tradição religiosa, no primeiro andar do templo erguido em 1969 fica a Gruta da Anunciação, onde o Anjo Gabriel anunciou à Virgem Maria que ela seria mãe de Jesus. A construção atual é um edifício de dois andares sobre o local onde, anteriormente, estava uma igreja da era das Cruzadas que, por sua vez, fora erguida sobre as ruínas de uma antiga construção bizantina.

Edificada num ponto de importância histórica, e considerada sagrada, a igreja recebe muitos peregrinos católicos, anglicanos e ortodoxos. O primeiro santuário foi provavelmente construído no século 4, no local em que havia apenas um altar na caverna onde Maria teria vivido. Uma estrutura maior foi encomendada pelo imperador romano Constantino I, que ordenou que sua mãe, Santa Helena, fundasse igrejas nos locais de importância na vida de Jesus. A Igreja da Anunciação, hoje basílica, foi fundada mais ou menos na mesma época que a Igreja da Natividade (no local do nascimento de Jesus) e da Igreja do Santo Sepulcro (onde Ele foi sepultado).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade