Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende suspeito de matar mulher e criança a marteladas

Mulher era companheira do homem e também foi esquartejada por ele; caso era investigado desde essa quarta-feira (7), quando um produtor rural encontrou duas pernas em sua propriedade


postado em 10/11/2018 15:49 / atualizado em 10/11/2018 16:40

A Polícia Civil de Pouso Alegre prendeu Luis Carlos Martins, de 47 anos, suspeito de esquartejar uma mulher e matar uma criança na cidade de Silvianópolis, na Região Sul de Minas, nessa sexta-feira (9). Francileide Assis Barbosa, de 26, era companheira dele, enquanto Bruna Carla de Assis Passos, 5, era sua enteada.


A investigação, conduzida pelo delegado Rodrigo Bartoli, foi iniciada nessa terça-feira, quando um fazendeiro encontrou duas pernas em sua propriedade rural localizada às margens da MG-179, na altura do Km 71 da rodovia. O fato chocou os moradores da região.


O produtor rural relatou aos agentes que, ao ir capinar, encontrou a perna direita inteira e a esquerda dilacerada do tornozelo para baixo. Com o susto, o homem saiu correndo e acionou a corporação. De acordo com a PM, a perna direita continha uma tatuagem, a qual, devido às circunstâncias, não foi possível detalhar.

 

Após diligências, a Polícia Civil chegou ao suspeito. Ele compareceu ao Instituto Médico Legal (IML) da região e reconheceu o corpo da vítima. Na ocasão, Luis Carlos afirmou que a companheira estava em São Paulo. 

 

Contudo, a polícia se deslocou à casa dele, onde vários vestígios de sangue foram encontrados. Neste momento, o suspeito confessou o crime e afirmou que também tinha matado a enteada. A corporação encontrou o corpo da criança envolvido por uma sacola e enterrado em uma vala da chácara da família.


Após a prisão, a polícia levou o homem até Carvalhópolis, também no Sul de Minas. Na cidade, ele teria jogado outras partes do corpo da mulher, novamente em uma propriedade rural. Segundo o delegado Rodrigo Bartoli, o suspeito ainda teria jogado outras partes do corpo em um rio.

 

"Ele espalhou o corpo por diferentes lugares em um raio de aproximadamente 70 quilômetros. A cabeça foi jogada no rio, enquanto as costelas e um dos braços estavam em Carvalhópolis. As pernas já haviam sido encontradas na terça", explicou o delegado. 


O homem está preso na Delegacia de Polícia Civil de Pouso Alegre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade