Publicidade

Estado de Minas

Barragens à beira de condomínios de Nova Lima podem voltar a operar

As barragens Maravilhas 2 e 3, da mineradora Vale, em Nova Lima, na Grande BH, tiveram a liminar que suspendia suas operações revogadas


postado em 27/10/2018 01:06 / atualizado em 27/10/2018 07:11

Operação da Mina de vargem Grande, em Itabirito, uma das que despejarão rejeitos nas barragens de Maravilhas 2 e 3(foto: Thiago Ventura/EM/D.A PRESS - 23/07/2015)
Operação da Mina de vargem Grande, em Itabirito, uma das que despejarão rejeitos nas barragens de Maravilhas 2 e 3 (foto: Thiago Ventura/EM/D.A PRESS - 23/07/2015)

Moradores de dois condomínios residenciais e de ao menos quatro propriedades rurais próximas a duas barragens em Nova Lima, na Grande BH, voltam a conviver com o medo. A liminar que suspendia o lançamento de rejeitos nas barragens Maravilhas 2 e 3, da Vale, foi revogada. Com isso, as operações seguem normalmente no empreendimento. O MPMG entrou com uma ação para que os moradores sejam retirados da área em que, em caso de colapso dos reservatórios, teriam entre 29 e 139 segundos para tentar salvar suas vidas. A mineradora voltou a afirmar que as barragens estão em segurança e que “passam por rigorosos testes e vistorias periódicas”.

A suspensão no empreendimento foi pedido pelo órgão no início do mês. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) analisou a solicitação feita pela promotora Cláudia de Oliveira Ignez, e concedeu liminar para impedir o lançamento de mais rejeitos nos dois reservatórios. Além disso, estipulou prazo de 15 dias para que a Vale elaborasse e executasse planos de ação emergencial e de segurança para os dois diques. Porém, poucos dias depois a decisão foi revogada em uma nova decisão. Com isso, as operações retornaram normalmente.

O imbróglio em torno do empreendimento é antiga. Desde 2016, um inquérito civil investiga os riscos da mineração na região. O argumento é que, além de colocar em risco direto as populações vulneráveis, um eventual colapso da estrutura afetaria até o abastecimento de água da Grande BH.

SEM RISCOS Por meio de nota, a Vale confirmou que as operações seguem normalmente e que não há risco dos reservatórios romperem. “A Vale reafirma a segurança das barragens Maravilhas II e III, que passam por rigorosos testes e vistorias periódicas seguindo os mais altos padrões mundiais de proteção. Essas barragens contam com Plano de Segurança de Barragens e Plano de Ação de Emergência de Barragens regulares e em conformidade com a legislação”, afirmou. “A Barragem Maravilhas II também passou por auditorias de segurança periódicas, sendo a última em setembro, e possui Declaração de Condição de Estabilidade emitida por auditor externo. A Barragem Maravilhas III está em fase de implantação e detém a Licença Ambiental de Instalação emitida pelo órgão ambiental”, finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade