Publicidade

Estado de Minas

Minas tem 112 cidades em situação de emergência; maioria enfrenta problemas com estiagem e seca

Balanço divulgado pela Defesa Civil do estado detalha que, até esta segunda-feira (15), 15 cidades entraram com pedidos somente no mês de outubro


postado em 15/10/2018 19:40 / atualizado em 15/10/2018 21:12

Registros de destruição de veredas e intensidade da seca na Região Norte de Minas(foto: Solon Queiroz/Especial para o Estado de Minas - (19/11/2017))
Registros de destruição de veredas e intensidade da seca na Região Norte de Minas (foto: Solon Queiroz/Especial para o Estado de Minas - (19/11/2017))


Cidadãos de 112 cidades mineiras convivem em situação de emergência, segundo levantamento divulgado pela Defesa Civil do estado. De acordo com o órgão, 26 cidades enfrentam os problemas da seca, enquanto outras 80 passam por período de estiagem. No total, são 106 municípios sofrendo com a falta de chuvas em Minas Gerais.

 

Só em outubro, 15 municípios decretaram emergência: Bertópolis, Malacacheta, Machacalis, Caraí, Leme do Prado, Santo Antônio do Jacinto, Novo Cruzeiro, Berilo, Rio do Prado e Almenara, todas no Vale do Jequitinhonha/Mucuri, e Arinos (Noroeste), Formiga (Centro-Oeste), Vargem Grande do Rio Pardo (Norte) e Engenheiro Navarro (Norte).

Dessas cidades, apenas Formiga e Malacacheta não passam por seca ou estiagem. A cidade do Centro-Oeste enfrenta problemas com incêndios em plantas e distritos industriais, parques e depósitos, enquanto a do Vale do Jequitinhonha passa por dificuldades com a abundância de chuvas.


Apesar de parecidas, estiagem e seca são desastres diferentes. Segundo o meteorologista da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de BH (COMDEC), Dayan Diniz, o primeiro fenômeno é temporário e diz respeito a uma escassez de chuvas num período no qual a pluviosidade é esperada.

A seca, por sua vez, tem uma duração maior, podendo até se tornar permanente, e é causada por período consecutivo se chuvas, conforme Diniz. Neste último caso, a vegetação se adapta às condições áridas, enquanto a agricultura só se mantém com irrigação frequente.


Cada decreto é válido por 180 dias. Neste ano, 66 cidades já decretaram emergência no estado, mas tiveram a data de validade expirada. Os casos mais comuns diziam respeito a inundações (10) e chuvas intensas (43).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade