Publicidade

Estado de Minas

Suspeito de estuprar criança é liberado pela polícia e agredido no Sul de Minas

População colocou fogo na casa do suspeito e jogou pedras em viaturas da polícia durante o tumulto; PM precisou usar força progressiva para conter protestos


postado em 01/10/2018 22:35 / atualizado em 02/10/2018 07:30

Confusão marcou a tarde desta segunda-feira (1º) no Bairro Vila Toco, em Boa Esperança(foto: Reprodução/TV Boa Esperança)
Confusão marcou a tarde desta segunda-feira (1º) no Bairro Vila Toco, em Boa Esperança (foto: Reprodução/TV Boa Esperança)
Um idoso, de 61 anos e suspeito de estupro contra uma criança, foi espancado por populares na cidade de Boa Esperança, na Região Sul do estado. A ação violenta desta segunda-feira (1º) aconteceu após ele ser detido e liberado por uma delegacia. A unidade policial seria da cidade de Varginha, segundo Renata Aparecida, mãe da vítima.  

O idoso teria confessado o crime, mas foi liberado por ausência de flagrante e de mandado de prisão. Diante dos fatos, a população se enfureceu e espancou o suspeito. A casa na qual ele, a avó e a criança viviam foi incendiada pela multidão e completamente destruída.

Casa ficou completamente destruída(foto: Reprodução/TV Alterosa)
Casa ficou completamente destruída (foto: Reprodução/TV Alterosa)
Revoltada com a atuação da polícia, vizinhos jogaram pedras em viaturas. Diante da situação, a polícia disse que precisou usar bombas de efeito moral e balas de borracha para conter os protestos e resgatar o suspeito ferido. 

A criança vivia com a avó, que sabia dos abusos cometidos por parte do companheiro dela, segundo relatos dos populares. “Eu fui presa e comecei a usar droga. Mas, por mais que eu usasse droga, minhas filhas sempre foram bem cuidadas”, disse Renata. A avó fugiu do local antes da confusão.

Uma vizinha, que não quis se identificar, informou que o casal evitava a presença dos vizinhos na residência deles, o que era visto de maneira suspeita. O homem foi encaminhado a um hospital da cidade de Três Pontas, também no Sul do estado, em estado grave. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade