Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga suposta quadrilha de estelionatários que agia em BH e SP

Foram apreendidos cartões de crédito, máquinas de cartão, garrafas de uísque, perfumes e equipamentos eletrônicos. Apenas um homem está preso


postado em 01/10/2018 18:36 / atualizado em 01/10/2018 18:43

Dois homens foram conduzidos pela polícia, na madrugada desta segunda-feira, no Bairro Céu Azul, Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, após denúncias de que estariam cometendo estelionato. Segundo a Polícia Civil, Daniel Souza Lima, de 36 anos, foi preso. Já Igor Mateus Souza Rodrigues foi liberado por falta de provas. Um terceiro suspeito atuaria em São Paulo.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, por volta das 2h40 agentes receberam informações de que, em uma casa na Rua Engenheiro Schnoor, havia um homem comercializando mercadorias roubadas. Chegando ao local, os militares abordaram Igor Mateus.

Dentro da casa foram encontrados cartões de crédito, máquinas de cartão, garrafas de uísque, frascos de perfumes, um computador, um celular, uma televisão e uma nota de um dólar. Ao ser indagado pelos policiais, o suspeito confessou que recebia cartões de crédito do Banco Santander alugados pelo valor de R$200 cada e que, depois do recebimento, depositava R$ 2 mil na conta bancária de um homem que mora em São Paulo.

Ainda segundo a Polícia Militar, Igor teria assumido que fazia as compras das mercadorias com os cartões de crédito e que "Menorzinho", como é conhecido o integrante da quadrilha que mora em São Paulo, era o responsável por estornar o valor das compras a ele.

Além disso, conforme a PM, o suspeito relatou que na casa de Daniel Souza havia outras mercadorias e armas. Lá, os policiais apreenderam cartões de créditos e R$ 9 mil em dinheiro.

A Polícia Civil informou que Igor Mateus Souza Rodrigues já possui passagens por estelionato, mas, como não foi preso em flagrante, foi liberado. Já Daniel Souza Lima foi encaminhado ao sistema prisional por porte ilegal de arma.

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade