Publicidade

Estado de Minas

Bando faz reféns, troca tiros com a polícia, mas é impedido de atacar banco em MG

Os criminosos foram surpreendidos por policiais Civis e Militares, que tiveram a informação sobre o crime e montaram uma operação. Houve troca de tiros e quatro homens foram presos


postado em 17/09/2018 18:43 / atualizado em 17/09/2018 19:08

Policiais Civis e Militares montaram um cerco para impedir o roubo(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Policiais Civis e Militares montaram um cerco para impedir o roubo (foto: Polícia Civil/Divulgação)

Buscas são realizadas na Região da Zona da Mata mineira por integrantes de uma organização criminosa especializada em roubos a bancos. O bando tentou atacar uma agência em Simonésia na madrugada desta segunda-feira. Os criminosos fizeram duas pessoas reféns, mas acabaram surpreendidos por policiais Civis e Militares, que tiveram a informação sobre o crime e montaram uma operação. Houve troca de tiros e quatro homens foram presos. Ao menos dois conseguiram fugir.

O serviço de inteligência da Polícia Civil conseguiu informações de que um ataque a banco aconteceria na região. “Recebemos informações de que um veículo suspeito esteve rondando há dias o município de Sericita. O carro foi abordado e conseguimos identificar um indivíduo. Na noite passada, cruzamos dados com o setor de inteligência em BH e conseguimos confirmar as informações do ataque. Uma pessoa informou que ouviu um indivíduo dizendo que iria fazer um assalto e que iriam 'bombar a cidade'”, explicou o delegado Carlos Roberto Souza da Silva, chefe da delegacia Regional de Manhuaçu, responsável pela área.

Os dados foram compartilhados com a Polícia Militar (PM) e uma grande operação foi montada. “Não sabíamos do horário que aconteceria. Mas, dividimos pela região. Foi formado um grupo de aproximadamente 60 policiais. Fizemos o cerco ao longo dos acessos”, disse o delegado. Na cidade, há três agências bancárias, mas pelo montante de dinheiro que os criminosos pretendiam roubar, a polícia conseguiu identificar em qual local seria o ataque.  “Pelo volume descrito pelo bando, notamos que o ataque seria no Banco do Brasil, que fica ao lado da prefeitura”, completou.

Polícia apreendeu materiais que seriam usados para furar pneus de viaturas(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Polícia apreendeu materiais que seriam usados para furar pneus de viaturas (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Por volta das 2h30, a ação dos criminosos começou. Segundo o delegado, o bando passou várias vezes em frente o quartel da PM e próximo aos bancos para identificar a movimentação. Antes de tentar o ataque a agência bancária, fizeram moradores reféns. “Em uma pizzaria próxima, eles renderam duas pessoas e os fizeram de refém. Em um dado momento, uma das equipes preparava a abordagem, quando eles identificaram um policial próximo a uma viatura. Eles apontaram uma arma com mira laser para ele e atiraram. Houve troca de tiros”, disse o delegado.

A viatura ficou destruída, mas nenhum policial ou morador ficaram feridos. Um criminoso foi atingido por tiros e acabou preso. Ele não corre risco de morrer, segundo o delegado. Buscas continuaram a ser feitas durante esta segunda-feira à procura dos criminosos. Outros três homens foram encontrados. “Um deles estava em um carro que foi parado pela Polícia Militar Rodoviária (PMRv), próximo a Realeza. Ele seria a pessoa que tinha um relacionamento com uma mulher da região e, por isso, sabia de toda a movimentação policial e dos bancos”, comentou Carlos Silva.

Durante as buscas foi encontrado um imóvel, na zona rural do município, que foi usado pelos criminosos como base. Lá, foram apreendidas bananas de dinamite, munição de diferentes calibres, e materiais que seriam usados para furar pneus das viaturas. Uma arma longa calibre 12 e três pistolas, calibre 380, .40 e 9 milímetros, também foram apreendidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade