Publicidade

Estado de Minas

BH tem 306 casos confirmados de dengue, 16 de chikungunya e três de zika

Balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) registra queda de diagnósticos positivos de dengue em agosto e estagnação em setembro


postado em 06/09/2018 22:09

Região Oeste de BH reúne o maior número de infectados pela dengue, com 41 casos (13,3%)(foto: Keith Hayes/Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos)
Região Oeste de BH reúne o maior número de infectados pela dengue, com 41 casos (13,3%) (foto: Keith Hayes/Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos)
A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) divulgou, nesta quinta-feira, o balanço* das doenças ligadas ao mosquito Aedes aegypti em Belo Horizonte. Os números referentes à 36ª semana do ano apresentam 306 casos confirmados de dengue, 16 a mais na comparação ao último levantamento, divulgado na última sexta-feira (31), quando haviam 290 diagnósticos positivos.

 

Além dos casos confirmados, a SMSA investiga outras 475 notificações. Até aqui, 3.983 situações foram analisadas e descartadas com relação à dengue. A maioria dos diagnósticos positivos está concentrada no mês de abril (24,2%).

 

Quanto aos territórios administrativos, a Região Oeste reúne o maior número de infectados pela dengue, com 41 casos (13,3%). A regional mais protegida é a Pampulha om apenas 21 casos confirmados (6,8%).

 

Ainda não confirmações da doença em setembro.

Zika e chikungunya

 

Também transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, as febres por zika vírus e chikungunya também tiveram seus números divulgados. Os casos confirmados de zika, assim como os de dengue, aumentaram nesta semana. No total, são três diagnósticos positivos, contra dois do último balanço. Um caso ainda é investigado, enquanto outros 34 foram notificados e descartados.

 

Em BH, 16 pessoas já precisaram enfrentar a febre chikungunya. Deste total, 10 cidadãos contraíram a doença na capital mineira e seis se infectaram fora da cidade Há ainda nove casos em investigação para a doença.


*Todos os dados expostos na nota foram disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) e apurados pelo poder público até 5 de setembro de 2018


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade