Publicidade

Estado de Minas

Menores são torturadas por traficantes da Vila Pinho

Segundo a Polícia Militar, a ordem pode ter vindo de dentro de uma penitenciária


postado em 30/08/2018 19:52 / atualizado em 30/08/2018 21:09

5 homens presos e 1 mulher(foto: Reprodução/ Polícia Militar)
5 homens presos e 1 mulher (foto: Reprodução/ Polícia Militar)
Duas pré-adolescentes, uma de 13 anos e outra de 12, foram torturadas na noite desta quarta-feira por membros do tráfico de drogas do Bairro Vila Pinho, Região do Barreiro, em Belo Horizonte. Segundo o relato de uma das meninas aos policiais, elas foram agredidas e tiveram os cabelos cortados pelos traficantes. O motivo seria um roubo de celular no bairro.

De acordo com o major Adeir Moreira, do 41º Batalhão da Polícia Militar, as menores moravam em um abrigo na Pampulha e, há duas semanas, começaram a trabalhar como olheiras para o tráfico da região.

As garotas estariam dentro de um ônibus quando dois homens as levaram a um local dizendo que “precisavam ter uma conversa”. Lá, um dos bandidos, que estaria em uma cadeiras de rodas e era chamado de 'Gordinho', acusou-as de terem roubado um celular na Vila.

Inicialmente, as garotas teriam negado a acusação, mas, com as ameaças dos homens, de que se continuassem contestando cortaria as mãos das duas, elas acabaram admitindo o roubo. Com isso, os traficantes rasparam os cabelos das meninas, as agrediram e, por fim, expulsaram-nas da região.

Após o ocorrido, uma das menores procurou a Polícia Militar e, após relatar as agressões sofridas, foi encaminhada para o pronto-socorro, onde permaneceu internada de quarta-feira para hoje. A outra garota teria fugido e, até o fechamento desta matéria, não tinha sido encontrada pelos policiais.

Conforme explicações da Polícia Militar, nesta manhã, os policiais foram à região e reuniram informações com os moradores. Lá, foram presos seis suspeitos, sendo três menores.

Drogas, dinheiro e celular apreendidos com os presos(foto: Reprodução/ Polícia Militar)
Drogas, dinheiro e celular apreendidos com os presos (foto: Reprodução/ Polícia Militar)
Um deles manteria relações sexuais com a menina de 13 anos e guardava, em sua casa, 50 buchas de maconha, 20 pinos de cocaína e pedras de crack.

Segundo o major, os bandidos presos teriam confessado o crime e indicado o lugar exato onde as torturas e agressões ocorreram. No local, os policiais encontraram grande quantidade de fios de cabelo no chão e chamaram a perícia para identificar se realmente eram das garotas.

Segundo uma menina, enquanto os bandidos as torturavam, eles diziam que “estavam a mando do Keketo”. A Polícia Militar informou que esse apelido é de um traficante preso e que, possivelmente, as ordens vieram de dentro da penitenciária.

Os homens gravaram toda a ação e os vídeos foram compartilhados em grupos do WhatsApp de moradores da Vila Pinho.

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade