Publicidade

Estado de Minas

Mulher é presa após esfaquear companheiro no Bairro Goiânia

Caso ocorreu durante a madrugada e homem precisou passar por cirurgia. À polícia, ela disse que já havia sido agredida por ele


postado em 28/08/2018 09:57 / atualizado em 10/09/2018 19:17

Com perfurações no peito e nas costas, homem passou por cirurgia no Hospital Risoleta Neves(foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)
Com perfurações no peito e nas costas, homem passou por cirurgia no Hospital Risoleta Neves (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)

Uma mulher de 28 anos foi presa depois de esfaquear o companheiro dela, de 48, na madrugada desta terça-feira. O crime ocorreu no Bairro Goiânia, Região Nordeste de Belo Horizonte. O homem foi levado para o Hospital Risoleta Neves, onde passou por cirurgia. 

De acordo com a Polícia Militar (PM), a briga ocorreu perto de um bar na Rua Estrada, pouco antes da 1h. O homem foi atingido por uma facada no peito e outra nas costas, além de apresentar escoriações no rosto. Ele foi levado para o Hospital Risoleta Neves, em estado grave. 

O homem havia sido encontrado a 400 metros do local do crime. Durante o atendimento da PM, a mulher acabou assumindo ter praticado a agressão. De acordo com a Polícia Militar, ela disse ter atacado o homem “com a única intenção de se defender da vítima”. Ela alegou aos policiais que sofreu agressões ao longo de vários dias e que o homem a obrigava a se prostituir para usar o dinheiro com drogas.

Nesta manhã, a companhia da PM responsável pela região disse que a mulher é identificada na ocorrência como companheira da vítima, mas ela teria dito que não estava com ele há sete meses. Após ser atendida no Hospital Odilon Behrens, na Região Noroeste da capital, ela recebeu voz de prisão da PM e foi levada para a Central de Flagrantes da Polícia Civil (Ceflan 1). A faca que teria sido usada no crime foi apreendida. 

A assessoria de imprensa do Hospital Risoleta Neves informou que o homem se encontra em condição estável, foi levado para o quarto e não corre risco de morrer. 
 
Segundo a Polícia Civil, a mulher alega que agiu em legítima defesa por ter sido agredida. Ela também informou que estaria grávida, o que não foi constatado pelos médicos que a atenderam. Ainda de acordo com a Polícia Civil, ela indicou onde estaria a arma e confessou ter dado as facadas na vítima.

A mulher foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML) onde passou por exame de corpo de delito, que não apontou lesões aparentes. Mesma observação foi feita pelos médicos que fizeram o primeiro atendimento. A Polícia Civil informou ainda que a mulher deverá ser autuada em flagrante por tentativa de homicídio e que não há nenhuma ocorrência anterior contra a vítima do esfaqueamento. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade