Publicidade

Estado de Minas

Belotur sonha com concurso nacional de quadrilhas em BH no Arraial de 2019

Prefeitura aposta na possibilidade de crescimento dos festejos juninos em Belo Horizonte e intenção é se tornar referência no Brasil, assim como aconteceu com o Carnaval


postado em 16/08/2018 06:00 / atualizado em 16/08/2018 07:59

Beija Flor de Minas (foto), que se apresentou ontem durante premiação do Arraial de Belo Horizonte, foi a quadrilha campeã do grupo de acesso. No grupo especial título ficou com a Fogo de Palha, que também se apresentou ontem no Teatro Francisco Nunes(foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS)
Beija Flor de Minas (foto), que se apresentou ontem durante premiação do Arraial de Belo Horizonte, foi a quadrilha campeã do grupo de acesso. No grupo especial título ficou com a Fogo de Palha, que também se apresentou ontem no Teatro Francisco Nunes (foto: Marcos Vieira/EM/D.A PRESS)

Virar uma atração referência do período junino e o desejo de sediar o festival nacional de quadrilhas em 2019. Essa é a ambição da Prefeitura de BH a partir da avaliação do Arraial de Belo Horizonte, que ontem entregou oficialmente a premiação aos vencedores dos grupos especial e de acesso do evento de 2018, além dos prêmios às quadrilhas campeãs do concurso estadual. Gestores responsáveis pela festa e pela cidade e os integrantes das quadrilhas entendem que o arraial cresceu e pode atrair ainda mais público com apoio e investimento maiores, ao ponto de experimentar uma evolução espelhada pelo carnaval.

A intenção da Belotur, organizadora do Arraial, é reforçar a importância de BH nos festejos de são-joão e, para isso, um desejo do órgão que cuida dos eventos na cidade pode ajudar nesse objetivo. Segundo o diretor de eventos e operações da Belotur, Gilberto Castro, apesar de ser uma tarefa difícil, a prefeitura vai se articular para trazer, em 2019, uma novidade a nível nacional. “Existe um desejo, e é importante destacar que ainda é um desejo, de trazer o concurso nacional de quadrilhas para Belo Horizonte”, afirma Castro.

Um exemplo que pode servir para a cultura junina ganhar força é o caminho percorrido pelo carnaval, evento que fez a capital mineira entrar de vez no mapa nacional da folia. “Parece-nos muito natural que, com o reconhecimento e o engrandecimento da nossa festa, possamos ser destino de são- joão para um número muito grande de turistas”, afirma o vice-prefeito de BH, Paulo Lamac.

Ontem, as quadrilhas que venceram os grupos especial e de acesso levaram os troféus e também prêmios em dinheiro. No grupo de acesso, o título ficou com a Beija Flor de Minas, que se apresentou logo no início do evento. A grande campeã do grupo especial foi a Fogo de Palha, do bairro Alto Vera Cruz e região, Leste da cidade, que se apresentou para fechar a premiação de ontem.

O presidente da quadrilha, Juan Borges, destacou a alegria com todo o esforço recompensado. “Há um tempo atrás nós poderíamos dizer que eram dois grupos fortes e o restante brigando para ficar em terceiro. Hoje em dia as quadrilhas estão competindo de igual para igual e as pessoas têm colocado a mão na massa para fazer um trabalho muito bem feito”, afirma.

Os vencedores do concurso estadual também foram premiados. Os campeões foram os integrantes da quadrilha Pequizá, de Montes Claros, seguidos da Pé Roxo, de Nova Lima, e Pé na Brasa, de Santa Luzia. Para o presidente da União Junina Mineira, Jadison Nantes, o movimento junino está ficando cada mais forte em BH. “O importante é que a gente tenha cada vez mais apoio e incentivo para que esse espetáculo se torne de fato de conhecimento de todos os belo-horizontinos”, completa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade