Publicidade

Estado de Minas

Arraial de Belo Horizonte chega aos 40 anos turbinado

Realizada desde 1979, festa junina da capital mineira, que tem seu ponto alto em concurso de quadrilha, aposta em novidades e esbanja vigor econômico após elevar arrecadação em 60% no ano passado


postado em 07/06/2019 06:00 / atualizado em 07/06/2019 08:09

Quadrilhas se apresentam na abertura da exposição de figurinos, parte da versão deste ano da festa, que arrecadou R$ 2,74 milhões em 2018(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Quadrilhas se apresentam na abertura da exposição de figurinos, parte da versão deste ano da festa, que arrecadou R$ 2,74 milhões em 2018 (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)


As festas juninas movimentaram R$ 2,74 milhões em cinco dias na Praça da Estação em 2018, um crescimento de 60% em relação a 2017, quando o montante foi de R$ 1,68 milhão e chega com novidades nesta temporada, quando completa 40 anos. Realizado desde 1979, o festejo, um dos mais tradicionais e importantes da capital, é expressão da cultura mineira e reúne centenas de pessoas nas agremiações. “O São-João mobiliza mais público do que o carnaval no Brasil. Está em mais cidades. É uma festa enraizada. É a celebração do homem e da mulher do campo e tem alto potencial econômico”, afirmou o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira.

A temporada foi, oficialmente, aberta com a Mostra Arraial Gentileza, exposição de figurinos juninos, fotos e vídeos que contam a história da tradição na capital, sediada no saguão da Prefeitura de Belo Horizonte, na Avenida Afonso Pena, no Centro. A programação prevê também muito arrasta-pé. No dia 30, a cantora Naiara Azevedo sobe ao palco da Praça da Estação. “O Arraial de Belo Horizonte conta com muita quadrilha, são 40 grupos que vão se apresentar, além da gastronomia e muita música. São dois fins de semana na Praça da Estação com muita festa”, diz o presidente da Belotur, Gilberto Castro. Amanhã, será realizado o Cortejo das Carroças, da Avenida Afonso Pena até a Praça da Estação. Os grupos enfeitam o meio de transporte e transformam o Centro em um grande arraial.

A mostra, que foi aberta ontem e segue até o dia 28, apresenta 30 figurinos de 14 quadrilhas belo-horizontinas. “Essa beleza de figurinos é feita pelos grupos juninos da cidade. A tradição junina é muito ligada à cultura mineira. Belo Horizonte tem o privilégio de manter viva essa manifestação”, afirma Simone Araújo, mobilizadora do Movimento Gentileza.

O concurso de quadrilhas será realizado na Praça da Estação. Vinte e sete quadrilhas disputam pelo Grupo de Acesso, em 28, 29 e 30 de junho. A disputa no Grupo Especial será em 6 e 7 de julho. Os quatro primeiros colocados do Grupo Especial vão levar prêmios de R$ 14 mil, R$ 12 mil e R$ 8 mil. O grupo de acesso terá cinco premiados, com valores de R$ 5mil a R$ 12 mil.

O grupo de Quadrilha São Gererê integra a exposição. O grupo ficou em terceiro lugar no Arraial de Belo Horizonte e ganhou concurso nacional em Boa Vista, Roraima. “A festa junina é um trabalho social dentro de nossa comunidade. O grupo começa a ensaiar em janeiro. Geralmente, são seis meses de ensaio”, informa Rogério Gomes, presidente da Quadrilha São Gererê, agremiação do Bairro São Geraldo, na Região Leste da capital.

NOIVOS Grace Kelly e Wender Rodrigues formam o casal de noivos do grupo de quadrilha Paixão Junina Mineira, do Bairro Salgado Filho, na Região Oeste, e participaram da apresentação feita por ocasião da abertura da mostra. “Para ser noiva é preciso ter carisma, postura. Dançar bem todas as damas dançam, mas carisma e postura mandam muito”, afirma ela, que ocupa o posto há quatro anos. Sem receber nada pela participação, Grace ensaia cinco horas todos os dias, “de segunda a segunda”. “O Arraial é muito importante para fomentar nossa cultura junina. A gente termina uma temporada e inicia os preparativos para a outra”, diz.

A aprovação do grupo pelo público é tão grande que os convites não param de chegar. O grupo se apresenta todos os fins de semana de maio, junho e agosto. Wender assumiu o papel de noivo pela primeira vez, realizando um sonho. “Eu dançava em outra quadrilha, mas estava de braços abertos para a Paixão Junina Mineira. Entrei no ano passado e, agora, assumi o cargo de noivo”, diz.

GASTRONOMIA Durante os festejos, o público poderá degustar da gastronomia junina. Nos dias de concurso de quadrilhas, a Praça da Estação recebe a Vila Gastronômica. O público também poderá degustar os pratos vencedores da segunda edição do Concurso Prato Junino, realizado pela Belotur em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel-MG). “Além dos tradicionais quitutes, teremos alguns pratos feitos pelas faculdades e chefs de cozinha renomados, que estarão a preços populares na nossa Vila Gastronômica”, afirma.

As receitas foram elaboradas por alunos dos cursos de gastronomia das universidades em homenagem ao legado de Dona Lucinha. O resultado será apresentado no dia 15. Participam do concurso alunos dos cursos de gastronomia da UNA, Pitágoras, Promove, Estácio de Sá e Senac.

Serviço


1ª Mostra Arraial Gentileza – Homenagem às 
quatro décadas do Arraial de Belo Horizonte
Quando: Até 28 de julho, de segunda a sexta, das 10h às 19h. Sábado e domingo, das 9h às 14h.
Onde: No hall da Prefeitura de Belo Horizonte, na Avenida Afonso Pena, 1.212, Centro


Publicidade