Publicidade

Estado de Minas

Laudo que vai apontar causa de morte de artista em boate sai em 30 dias

A mulher estava em um quarto da casa de shows, sem nenhum ferimento. Duas cobras usadas pela artista em seus shows estavam no local, mas a investigação inicial da polícia não aponta que elas tenham causado o óbito


postado em 25/07/2018 18:17 / atualizado em 25/07/2018 23:14

O resultado de exames que vão indicar a causa da morte de uma dançarina, de 40 anos, cujo corpo foi encontrado dentro de uma boate em Atibaia, no interior de São Paulo, deve sair dentro de 30 dias. A mulher estava em um quarto da casa de shows, sem nenhum ferimento. Duas cobras usadas pela artista em seus shows estavam no local, mas a investigação inicial da polícia não aponta que elas tenham causado o óbito.

Embora tenha sido registrada na cidade paulista, a morte da mulher, conhecida como “Haybara, Rainha das Cobras”, repercutiu muito em Montes Claros, na Região Norte de Minas, onde ela costumava fazer shows em uma casa noturna havia mais de 12 anos. A dançarina chegou a morar na cidade.

O nome de batismo de “Haybara” era Dina Raquel Silva Carneiro. Na página da dançarina no Facebook ela informou como local de moradia Montes Claros e também foi na cidade norte-mineira que gravou reportagem intitulada A mulher das cobras para uma emissora de uma rede de TV.

Haybara era natural de Petrópolis, onde a família dela mora no Bairro Mosela. Responsável pelo caso, o delegado de Atibaia, Elton Costa, disse que a polícia conseguiu fazer contato com os parentes da dançarina em Petrópolis. No entanto, a família alegou dificuldades financeiras para o traslado. Por isso, a dona da boate onde a dançarina estava trabalhando assumiu o compromisso de providenciar o sepultamento em Atibaia e arcar com as despesas.

O delegado Elton Costa disse que não pode adiantar nada sobre a possível causa da morte de Haybara. O corpo foi necropsiado em Bragança Paulista. Elton  informou apenas que foi feita a coleta de material para exame especializado em laboratório na capital paulista e que o resultado deverá sair dentro de um mês.

O corpo de Haybara foi encontrado na manhã dessa terça-feira. De acordo com a Polícia Militar, funcionários e amigos dela estranharam que a dançarina não saía do quarto. Eles entraram no cômodo e a encontraram deitada na cama já sem vida.  De acordo com a PM,  as duas cobras, uma píton e uma jiboia, estavam dentro de uma caixa. O Corpo de Bombeiros foi acionado e fez o resgate dos animais.

As cobras já tinham sido apreendidas anteriormente, em março do ano passado, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Montes Claros.  Entretanto, a artista pagou multa e conseguiu recuperá-las. A reportagem apurou que julho de 2007, os répteis usados pela dançarina também foram apreendidos durante uma apresentação de um show em uma casa noturna de Goiânia. Lá, ela também conseguiu recuperar os animais, após o pagamento de autuação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade