Publicidade

Estado de Minas

Mulher é morta em BH pelo ex-companheiro; vítima tinha medida protetiva

A vítima foi morta pelo ex-companheiro de 37 dentro do escritório de advocacia onde trabalhava. Segundo consta no boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o homem alegou ciúmes por ela ter ido em uma festa dias atrás


postado em 24/07/2018 16:20 / atualizado em 24/07/2018 18:23

A medida protetiva contra o ex-companheiro não foi o suficiente para evitar mais uma tragédia. Uma mulher de 36 anos foi assassinada a facadas na manhã desta terça-feira no Bairro Betânia, na Região Oeste de Belo Horizonte. A vítima foi morta pelo ex-companheiro de 37 dentro do escritório de advocacia onde trabalhava. Segundo consta no boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o homem alegou ciúmes por ela ter ido em uma festa dias atrás. Os dois tiveram um relacionamento de aproximadamente 15 anos, e estavam separados há cerca de um mês. De acordo com a Polícia Civil, ela já tinha uma medida protetiva contra ele, devido a ameaças.

O crime aconteceu nesta manhã em um imóvel localizado na Rua Dona Bela, no Bairro Betânia. Segundo a PM, o próprio autor do crime, Flávio Santos da Silva, foi quem ligou para pedir ajuda. Na ligação, ele informou que matou a esposa e que tentou tirar a própria vida. Viaturas foram para o local, e os militares encontraram o homem sentado em uma escada com uma faca em mãos e com ferimentos no tórax. Ele foi socorrido e encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste, com ferimentos superficiais.

Em conversa com os militares, ele informou que tinha combinado de encontrar com a vítima,  Monalisa Camila da Silva, que o ajudaria a se matricular em um curso. Porém, segundo o boletim de ocorrência da PM, durante o encontro, que aconteceu no escritório de advocacia onde a mulher trabalhava, que ficava em uma anexo da casa dela, houve uma discussão entre os dois. Flávio disse que questionou a ex-companheira sobre uma festa que ela teria ido dias antes. Ela teria lhe respondido que não era da conta dele.

Não satisfeito com a resposta dada pela vítima, o homem alegou aos militares que desferiu vários socos no rosto de Monalisa, que caiu desacordada. Ele, então, informou que foi até a casa e pegou uma faca. Voltou para o escritório e desferiu dois golpes na mulher, que foi atingida no pescoço e no peito.

Quando os policiais chegaram no local, socorreram o homem para a UPA Oeste e começaram a fazer buscas na casa. Durante a ação, o filho da vítima informou que havia uma sala anexa a residência, onde a mãe trabalhava. Os policiais tiveram que arrombar duas portas para poder entrar no local, pois as duas estavam trancadas.

A mulher foi encontrada caída no chão atrás de uma mesa do escritório com o rosto encoberto com uma blusa. Ela estava com um corte profundo no pescoço e apresentava sinais vitais. Monalisa foi socorrida para a UPA Oeste, mas não resistiu aos ferimentos. Na casa, foram encontrados dois bilhetes escritos pelo ex-companheiro da vítima. O material foi apreendido e encaminhado para a delegacia.

Flávio deve ser autuado em flagrante por feminicídio. De acordo com a Polícia Civil, ele tinha um relacionamento de aproximadamente 15 anos com a vítima. O casal estava separado há um mês. A mulher já tinha uma medida protetiva contra o homem, por ameaças e o comportamento agressivo dele. Duas facas usadas no crime foram apreendidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade