Publicidade

Estado de Minas

Homem é preso após atacar adolescente, agredir tio dela e cuspir em rosto de PM

Com o rosto ensanguentado, o autor ainda começou a dizer para as pessoas que era portador do vírus HIV. Mas, exames realizados após a prisão dele deram negativo


postado em 16/07/2018 16:13 / atualizado em 16/07/2018 16:42

Um homem provocou pânico a moradores de Juiz de Fora, na Região da Zona da Mata, e deu trabalho para policiais militares que tentavam prendê-lo. Com o rosto ensaguentado, ele chegou em um ponto de ônibus no Bairro Benfica e passou as mãos nas partes íntimas de uma adolescente de 14 anos. O tio dela revoltado tirou satisfações, e acabou agredido com uma cadeirada. O autor ainda começou a dizer para as pessoas que era portador do vírus HIV. Mas, exames realizados após a prisão dele deram negativo.

A ocorrência aconteceu na noite desse domingo. De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o tio e a sobrinha estavam na Rua Paulo Garcia, aguardando um ônibus, quando o homem de 36 anos se aproximou. As testemunhas contaram que ele estava com o rosto ensanguentado e se aproximou da adolescente. Em seguida, segundo consta no registro policial, o homem agarrou a garota e passou uma das mãos sujas de sangue por debaixo da saia da vítima, onde acariciou as pernas e as partes íntimas dela.

Ao ver a ação do homem, o tio da garota se revoltou e ameaçou chamar a polícia. Neste momento, segundo relatos da vítima, o autor começou a agredi-lo. Até mesmo uma cadeira foi usada pelo agressor.

A PM chegou ao local e avistou o autor sujo de sangue. Quando o homem viu a aproximação policial, começou a gritar que era portador de HIV e que ninguém lhe encostaria a mão. De acordo com o boletim de ocorrência, ele ainda xingou e ameaçou os policiais. Ele teve que ser contido pelos policiais, pois estava agressivo e resistiu a prisão. O homem chegou a morder os militares e a cuspir no rosto de um cabo.

Depois da prisão, o autor e as vítimas foram levados para o Hospital de Pronto-Socorro de Juiz de Fora para realizar exames. O resultado deu negativo para o vírus HIV. O homem foi medicado e, em seguida, levado para a delegacia.

Segundo a PM, na delegacia, as vítimas mostraram desinteresse em prestar queixa contra o homem. Por causa disso, ele acabou liberado após se comprometer a comparecer em juízo para audiência no Juizado Especial Criminal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade