Publicidade

Estado de Minas

Antes de fechamento total, Praça da Liberdade tem protesto contra o aborto

Grupo se reuniu no cartão postal de Belo Horizonte na manhã deste domingo. Praça será fechada para reformas


postado em 01/07/2018 09:45 / atualizado em 01/07/2018 09:57

Manifestantes reunidos na Praça da Liberdade na manhã de domingo(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Manifestantes reunidos na Praça da Liberdade na manhã de domingo (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)

Antes do fechamento total da Praça da Liberdade, que será restaurada até novembro ao custo de R$ 5 milhões, uma das últimas manifestações que o espaço recebe é contra o aborto. 

"Somos a favor da vida. Essa justificativa de que o aborto se trata de saúde pública é uma falácia. Queremos salvar duas vidas e que em vez de tirar uma vida, as mães tenham direito a uma gravidez digna, isso mata muito mais", disse a microbiologista Gláuciane Teixeira, de 36 anos, uma das organizadoras da passeata.

Gláuciane Teixeira (esq), de 36 anos, uma das organizadoras da passeata(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Gláuciane Teixeira (esq), de 36 anos, uma das organizadoras da passeata (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)


Espaço ainda democrático para a troca de ideias, há também pessoas de posições contrárias na praça, como a aposentada Lina Barros, de 70. "O aborto é um dos atos mais solitários e tristes que uma mulher pode fazer, mas em vista das condições deste mundo, onde enterramos filhos nos nossos braços devido às precarização da saúde e da violência temos de ter esse direito de escolha", disse.

A aposentada Lina Barros tem opinião contrária(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
A aposentada Lina Barros tem opinião contrária (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
O projeto de recuperação, antecipado pelo Estado de Minas em fevereiro, será custeado pelo governo de Minas, prefeitura da capital e mineradora Vale, com previsão de término em novembro. Durante esse período, o trânsito não será alterado, mas vai ser proibido estacionar no entorno da área sob intervenção.

A recuperação da praça passa pela reformulação do sistema de iluminação, restauração do coreto, da estátua Ninfa e do piso de caminhada, além da reinstalação das placas de monumentos e do mobiliário, com novos bancos e lixeiras. O entorno e as ruas ao redor ainda receberão postes decorativos, que farão a iluminação pública e da pista de caminhada. Os 60 postes republicanos, atualmente instalados na parte externa, serão reposicionados na parte interna.

Nesta manhã, moradores ainda praticavam atividades na praça, apesar dos tapumes(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Nesta manhã, moradores ainda praticavam atividades na praça, apesar dos tapumes (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)


O tradicional coreto terá iluminação interna, da fachada e da cúpula. As fontes luminosas receberão luminárias de LED, assim como as palmeiras, que terão projetores LED para destaque dos troncos e folhas. O sistema de irrigação dos canteiros será substituído e os jardins, requalificados. Serão quase 30 mil unidades de plantas em uma área de 6.154 metros quadrados de grama. Para preservar algumas dessas áreas, haverá uma proteção. (Com informações de Isabella Souto)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade