Publicidade

Estado de Minas

Vigia é assassinado em portaria do Parque Estadual do Rola-Moça

De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima foi encontrada sem vida na parte do parque próximo ao Bairro Solar do Barreiro. As causas e autoria do crime ainda são desconhecidas


postado em 11/06/2018 14:04 / atualizado em 11/06/2018 19:49

A Polícia Civil vai investigar um assassinato ocorrido no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O vigia do local foi morto a tiros quando estava na portaria da área verde, localizada no Bairro Solar do Barreiro, na capital. As causas e autoria do crime ainda são desconhecidas.

O crime aconteceu entre a noite de domingo e a manhã desta segunda-feira. De acordo com informações do boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), a corporação foi acionada por volta das 7h. Quando os policiais chegaram na Via Geraldo Dias, encontraram com bombeiros que já prestavam atendimento.

Testemunhas contaram que passaram pela guarita do parque e avistaram Anderson Luiz Silveira, de 46 anos, caído ao chão. Os militares tentaram socorrer a vítima, mas ela já estava sem os sinais vitais.

Segundo a PM, um funcionário contou que Anderson trabalhava como vigilante no período diurno. Porém, trocou de turno com um colega da noite. Os motivos da alteração não foram esclarecidos pela testemunha.

A perícia da Polícia Civil constatou que o vigia foi atingido por quatro tiros na cabeça. Um veículo, relógio e a carteira do segurança foi entregue para a família dele. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte. O caso será investigado pela 2ª Delegacia de Polícia Civil de homicídio do Barreiro.

Por meio de nota, o Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema) informou que o corpo do vigia por encontrado por volta das 6h por outro funcionários que assumiria o turno do vigilante. “No domingo, 10, um segurança que faz ronda no período noturno nos arredores do parque passou pela guarita onde o vigia trabalhava, às 23h, e constatou que tudo estava normal. Deste modo, a suspeita é que o incidente tenha ocorrido entre 23h e 6h desta segunda-feira”, informou.  O vigia morto trabalhava no parque desde 2009. Ele deixa esposa e um filho.

O Sisema ressaltou que o parque conta com vigilância em todas as suas portarias 24h por dia e  não possui histórico desse tipo de incidente. Informou, ainda, que vem prestando apoio à família da vítima e compartilhando com as investigações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade