Publicidade

Estado de Minas

Freira fundadora de convento de Montes Claros morre em acidente na BR-135

Conhecida como Madre Angélica, de 87 anos, ela estava com outras quatro mulheres quando o veículo delas foi atingido por uma carreta


postado em 02/06/2018 14:54 / atualizado em 03/06/2018 10:11

Carro das religiosas foi atingido por carreta na manhã deste sábado. A motorista ficou presa às ferragens(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Carro das religiosas foi atingido por carreta na manhã deste sábado. A motorista ficou presa às ferragens (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Um acidente no fim da manhã desse sábado resultou na morte de uma freira carmelita de 87 anos e deixou outras quatro mulheres feridas na BR-135 em Montes Claros, Norte de Minas Gerais. O carro em que elas estavam foi atingido por uma carreta. A Irmã que morreu fundou o convento na cidade na década de 1970 e era muito conhecida na região. 

O velório é realizado na manhã deste domingo em Montes Claros, com a presença de dezenas de pessoas.  

As vítimas estavam em um Uno que seguia no sentido Bocaiúva-Montes Claros. Testemunhas disseram ao Corpo de Bombeiros que, ao passar pelo km 20, o motorista de uma carreta que vinha logo atrás tentou desviar de um veículo menor e atingiu a lateral do carro, do lado do motorista. Três equipes do Corpo de Bombeiros – acionadas por volta das 10h40 -,  duas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), além da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) e da Polícia Civil atuaram no local. No momento do resgate e perícia, o trânsito chegou a ficar fechado nos dois sentidos. 

No acidente morreu a Madre Angélica, cujo nome de batismo é Sophia Maria Esteves de Melo, de 87 anos. Ela era a madre superiora e fundadora do Convento do Carmelo Mãe da Igreja e Paulo VI (Convento das Carmelitas), criado há 40 anos. O local conta com 18 freiras em regime de clausura. Madre Angélica viajava no banco de passageiros dianteiro. No carro viajavam mais duas irmas carmelitas, retornando de uma atividade em um sítio no município de Montes Claros. 



Ficaram gravemente feridas no acidente as passageiras Irlene Viana Parreiras, de 45 anos, (psicóloga) que sofreu traumatismo craniano, Eleny Ferreira Silva (também freira), de 44, que fraturou um fêmur, e a motorista do veículo, a professora e cantora lírica Juliana Marília Coli, de 45, que ficou presa às ferragens e foi retirada por militares Corpo de Bombeiros, em choque. A outra irmã carmelita que estava no Fiat Uno, Maria de Lourdes Rodrigues Melo, de 48, sofreu escoriações. As quatro vítimas com ferimentos foram socorridas pelos bombeiros e pelo Samu e levadas à Santa Casa de Montes Claros. 

A Arquidiocese de Montes Claros divulgou uma nota de pesar sobre a morte da Madre Angélica e informou que as outras vítimas do acidente apresentam quadro estável e passam bem. A Arquidiocese disse também que vai divulgar informações sobre o velório e sepultamento da religiosa assim que possível.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade