Publicidade

Estado de Minas

Filas em postos de combustíveis voltam a crescer neste sábado em BH

Expectativa é que a situação melhore ao longo do fim de semana, segundo o Minaspetro


postado em 02/06/2018 08:37 / atualizado em 02/06/2018 18:11

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Ao contrário do que se poderia imaginar, as filas nos postos de combustíveis neste sábado voltaram a ficar quilométricas. Nas primeiras horas da manhã postos de diversas regiões estavam com muitos carros aguardando para encher o tanque.

Nos locais onde o atendimento ainda não estava ocorrendo, já havia motoristas se posicionando para aguardar a chegada. Situação parecida com a vivenciada há alguns dias, no auge da greve dos caminhoneiros.

A reportagem flagrou longas filas em postos na MG-020, no Bairro Tupi, Região Norte, na Avenida Cristiano Machado, no Concórdia (Nordeste). Mesma situação em outro posto na Avenida do Contorno no Santa Efigênia (Leste). Ainda na Avenida Cristiano Machado, porém, no Bairro da Graça, motoristas faziam fila em um posto que ainda estava fechado.

Nos últimos dias, cerca de 90% dos postos de combustíveis da Região Metropolitana de Belo Horizonte receberam a primeira carga dos líquidos após o início da paralisação dos caminhoneiros.

A expectativa é que agora, os estabelecimentos comecem a ser abastecidos, elevando a oferta de combustíveis e reduzindo as filas de motoristas. Para suprir a demanda, os carregamentos devem ocorrer durante o período de 24 horas por dias no fim de semana.

Essa informação, de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Minaspetro), veio das companhias que fazem a distribuição dos combustíveis. Para a entidade, a situação deve ficar completamente normalizada a partir de segunda-feira na Grande BH.

O Minaspetro também pede paciência da população e não promova corrida aos postos para abastecer seus veículos, com receio de nova paralisação e bloqueio dos caminhoneiros, como tem sido espalhado por meio de mensagens de aplicativos. “Isso, de fato, acelera o processo de baixa no estoque dos postos e o aumento de filas de veículos”, informou, por nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade