Publicidade

Estado de Minas

UFMG e PUC suspendem atividades devido a greve dos caminhoneiros

Ao menos outras três universidades decidiram paralisar até a próxima semana pelo mesmo motivo. As escolas municipais e estaduais também estão sem aulas hoje


postado em 25/05/2018 15:17 / atualizado em 25/05/2018 16:23

A suspensão começa a valer 16h desta sexta-feira e valerá também no sábado(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
A suspensão começa a valer 16h desta sexta-feira e valerá também no sábado (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a PUC Minas entram para a lista de instituições de ensino que suspenderam as atividades devido a paralisação dos caminhoneiros. As atividades acadêmicas e administrativas ficarão suspensas, nos dois locais, a partir desta sexta-feira, e se estenderá até este sábado. Ao menos outras três universidades decidiram paralisar até a próxima semana pelo mesmo motivo. As escolas municipais e estaduais também estão sem aulas hoje.

Por meio de nota, publicada na tarde desta sexta-feira, a UFMG comunicou a suspensão. “Em nota à comunidade universitária, a reitora Sandra Goulart Almeida afirma que a Administração Central continuará acompanhando os acontecimentos para outras deliberações sobre a manutenção das atividades”. A Pró-reitoria de Recursos Humanos determinou o abono das ausências dos servidores técnico-administrativos.

A Assessoria de imprensa da Puc Minas informou que as atividades acadêmicas e administrativas estão suspensas a partir da noite desta sexta-feira. No sábado, também continua a suspensão. Na segunda-feira, a previsão inicial é que os serviços sejam normalizados.

Ao menos outras três universidades federais suspenderam as atividades até a próxima segunda-feira. Uma delas é a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Por meio de nota, a instituição afirma que devido aos bloqueios a distribuição de combustível foi afetada e cria “um ambiente de insegurança”. Por isso, suspendeu as aulas desta quinta-feira e sexta-feira no Campus Alto Paraopeba (CAP), em Ouro Branco, na Região Central do Estado, e em todos os campi de São João del-Rei, no Campos das Vertentes.

“Continuaremos atentos à situação e tomaremos novas medidas, caso sejam necessárias, para assegurar os direitos de participação nas atividades acadêmicas dos estudantes que estão impedidos de comparecer aos referidos campi. As medidas foram tomadas de acordo com as questões regionais que afetam cada campus da instituição”, informou.

A Universidade Federal de Lavras (UFLA), no Sul de Minas Gerais, suspendeu as aulas até a próxima segunda-feira, 28 de maio. Ontem, as atividades dos cursos de graduação e pós-graduação já foram suspensas. Em nota, a UFLA diz que a decisão “visa preservar toda a comunidade acadêmica. Outra a suspender as aulas foi a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A paralisação acontece, até segunda-feira, no campus de Juiz de Fora e no Colégio de Aplicação João XXIII

Alimentação


A falta de insumos também leva instituições de ensino a mudar a estratégia na alimentação. É o caso da UFJF. Desde ontem, estão sendo oferecidos, no almoço e jantar, temporariamente, a opção de dois pães com presunto e mussarela, bufê de salada, proteína de soja, e um alimento oleaginoso, além das opções de suco e fruta. “A medida de readaptação do cardápio foi sugerida pela Coordenação do RU à Administração Superior, que a acatou, com o objetivo de não interromper o funcionamento dos restaurantes. A UFJF reitera que estão sendo feitos esforços para a normalização do abastecimento de gás o mais breve possível, e o cardápio oferecido volte a ser o habitual”, informou a universidade. Mesmo com a paralisação na universidade, o restaurante continuará aberto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade