Publicidade

Estado de Minas

Greve dos caminhoneiros fecha prefeitura e suspende aulas no interior de MG

Prefeitura de Juiz de Fora suspendeu todas as atividades na segunda-feira. Em Governador Valadares, aulas foram suspensas


postado em 25/05/2018 13:35 / atualizado em 25/05/2018 13:52

Greve dos Caminhoneiros: trecho da BR 040, entre Juiz de Fora e Matias Barbosa(foto: Fernando Priamo/Tribuna de Minas )
Greve dos Caminhoneiros: trecho da BR 040, entre Juiz de Fora e Matias Barbosa (foto: Fernando Priamo/Tribuna de Minas )

Prefeituras de cidades do interior de Minas Gerais estão suspendendo serviços diante do impacto da greve dos caminhoneiros, que completa cinco dias nesta sexta-feira. Ações vão desde o cancelamento das aulas até o fechamento de uma prefeitura. 

Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, a prefeitura decidiu hoje suspender todas as atividades na próxima segunda-feira, dia 28, incluindo os atendimentos em postos de saúde. A decisão foi tomada durante a reunião o comitê de contingenciamento criado para averiguar as consequências da greve no abastecimento da cidade. 

“As exceções serão os serviços de urgência e emergência na saúde, a coleta de lixo domiciliar e o trabalho intensificado de fiscalização do Procon e da vigilância sanitária, realizado para combater os preços abusivos de combustíveis e insumos e garantir a qualidade de acondicionamento dos alimentos”, explicou a prefeitura por meio de nota divulgada em sua página no Facebook. A decisão será publicada nos Atos do Governo, no sábado. 



Também foi cancelado o Corredor Cultural, evento que aconteceria em Juiz de Fora desta sexta-feira até domingo, “em razão do impedimento de transporte de várias atrações, fornecedores da prefeitura e serviços exigidos para a manutenção da programação”. A prefeitura finaliza dizendo que o comitê de emergência continuará reunido no fim de semana monitorando o cenário. O evento Aerofest - Um Brinde a JF, que seria neste fim de semana, também foi cancelado.

Em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, as aulas nas escolas municipais e creches estão suspensas a partir desta sexta-feira. A justificativa é de que a greve dos caminhoneiros compromete o transporte dos estudantes e a chegada dos produtos da merenda escolar. Mais de 20 mil alunos da cidade e da zona rural foram afetados. 

Pela manhã, o prefeito André Merlo (PSDB) convocou uma reunião com todos os secretários municipais para uma reunião extraordinária onde foram traçadas estratégias emergenciais. Um segundo encontro deve ocorrer à tarde. 

“A empresa responsável pela distribuição de carnes para o preparo das refeições dos pacientes do Hospital Municipal é de Betim (MG) e não conseguiu chegar a Valadares”, publicou a prefeitura em seu site”. A prefeitura conseguiu garantir a carne com fornecedores locais para atender pacientes e acompanhantes até terça-feira. “Já produtos de hortifrúti ainda tem disponível até o final da semana. O estoque de leite está acabando e o município está providenciado com fornecedores locais”, disse o Executivo municipal. 



A Assistência Farmacêutica também aguarda a entrega de alguns itens, mas as empresas até o momento não se manifestaram sobre atraso, o que não é descartado caso a paralisação se estenda. 

“O SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) informa que possui produtos para tratamento da água armazenado em estoque, suficientes para pouco mais de uma semana, até o dia (31). A partir desta data, caso a greve continue, não terá mais condições para tratar a água e distribuí-la à população. Por se tratar de corrosivos, esses produtos devem ser transportados em caminhões apropriados, licenciados e autorizados. A autarquia esclarece que possui um caminhão-tanque de quatro mil litros, mas devido à greve, também fica impossibilitado de chegar até as empresas”, informa a prefeitura de Governador Valadares. 

Na noite de quinta-feira, a Secretaria Municipal de Educação de Lavras, no Sul do estado, informou a suspensão temporária do transporte de alunos da zona rural, Fonte Verde, do Centro para Desenvolvimento do Potencial e Talento (Cedet), Centro de Apoio às Necessidades Auditivas e Visuais (Cenav), Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet). “A Secretaria está trabalhando para normalizar o serviço o mais rápido possível. Contamos com a compreensão e colaboração de todos”, disse em nota. 

CARATINGA Na cidade do Vale do Aço, por causa da falta de combustíveis, as ambulâncias estão priorizando atendimentos de urgência e emergência. As viagens programadas durante o período serão remarcadas. A prefeitura também informou que toda a rota de coleta de lixo será alterada. Como não há previsão para que a situação seja regularizada, eles pedem que a população não descarte lixo em sacos não amarrados e nem descarte nas ruas com a mesma frequência da programação realizada anteriormente no bairro. 

“A Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte, comunica que em virtude da greve dos caminhoneiros a frota do transporte escolar de Caratinga se encontra sem combustível e, portanto, a prestação deste serviço será suspenso até o retorno do abastecimento”, escreveu a prefeitura de Caratinga. “Informa que estão realizando o levantamento das escolas que terão o atendimento comprometido para reagendamento e reposição dos dias letivos. Os alunos serão informados”, finalizou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade