Publicidade

Estado de Minas

Dia de beleza leva autoestima e tranquilidade a gestantes do Sofia Feldman

Casa que abriga gestantes de risco atendidas no hospital e fabricante de cosméticos oferecem dia de cuidados com os cabelos às mamães. 'Deixam a gente feliz', diz uma delas


postado em 10/05/2018 06:00 / atualizado em 10/05/2018 08:03

A técnica capilar Arielle Soares atende a gestante Fernanda: 'O melhor de estar aqui é dar um aconchego, um carinho' às mães, disse a profissional (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
A técnica capilar Arielle Soares atende a gestante Fernanda: 'O melhor de estar aqui é dar um aconchego, um carinho' às mães, disse a profissional (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)

Na semana que antecede o Dia das Mães, gestantes atendidas pelo Hospital Sofia Feldman, no Bairro Tupi, Região Norte de Belo Horizonte, tiveram um dia dedicado à beleza, carinho e otimismo. A Casa da Gestante Zilda Arns, em parceria com a Mutari, marca de cosméticos da capital, levou às futuras mamães um salão de beleza para o cuidado com os cabelos. O objetivo era levantar a autoestima e promover o bem-estar das mulheres.

Inaugurada em 2007, a casa tem capacidade para acolher 27 gestantes em condições de permanência, alimentação e acompanhamento. Mais de 300 municípios são atendidos. Atualmente, 21 mulheres estão no local. Uma equipe multiprofissional, composta por enfermeira obstetra, médico obstetra e técnico de enfermagem, cuida e assiste as grávidas com gestações de risco. No local, elas também podem receber visitas da família.

A enfermeira assistencial Juliana Ribeiro de Oliveira explica que as futuras mamães são encaminhadas à unidade pelo hospital após uma avaliação. “São mulheres que têm diabetes controlada, a bolsa rompeu, são hipertensas. Elas têm que estar perto do hospital, não necessariamente precisam estar internadas. Em caso de qualquer urgência, qualquer atendimento que exija sua ida ao hospital, elas estão mais próximas”, detalha.

O objetivo do acolhimento fora do hospital é trazer conforto às gestantes em um momento tão delicado. “A gente promove este ambiente no sentido de casa mesmo, de acolher, de ter uma cozinha, de ter um jardim, de ter um local em que possam fazer alguma atividade terapêutica para se sentirem mais confortáveis”, detalha Juliana.

Técnica capilar formada pela Mutari e atuando na área há 11 anos, a também mamãe Arielle Mendes Soares disse considerar uma honra atender as gestantes e levar alegria a elas. “O bacana de a gente estar aqui não é só tratar dos cabelos, mas realmente dar um aconchego, um carinho, estar próximo das mãezinhas, fazê-las sorrir ainda mais e mostrar o lado bom”, afirmou. “Porque elas estão passando por esse momento delicado, mas já já vão estar com seus bebês no colo para poder dar todo amor e carinho durante esta fase da gestação”, disse Juliana.

Três técnicas estiveram na Casa da Gestante para atender as mães. Todas elas ganharam brindes com produtos para os cabelos e seis foram sorteadas para receber o tratamento pelas mãos das profissionais no local, com direito a hidratação, nutrição ou reconstrução e finalização com escova.

(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
(foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press)


Cuidado por fora e por dentro. Além de tratar da beleza das gestantes, as profissionais também realizaram uma dinâmica voltada para promover a interação, autoestima e tranquilidade das mães, algumas perto de dar à luz. As técnicas também dividiram experiências sobre suas gestações. De olhos fechados, as mães acolhidas pela Casa da Gestante Zilda Arns meditaram sobre o presente e o futuro com seus bebês. De mãos dadas, em círculo, grávidas, familiares e demais presentes compartilharam apoio e palavras de otimismo. “Estou com você”, “vai passar”, “você é forte”.

Isabela Helga Carvalho, de 32 anos, é do Bairro Cruzeiro, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, e chegou na terça-feira diagnosticada com bolsa rota (quando a membrana que envolve o bebê se rompeu). Com 33 semanas de gestação, ela aguarda a chegada da segunda filha, Raiane, e aprovou o tratamento na Casa da Gestante e a iniciativa do dia de beleza. “Estou achando ótimo porque estimula. A gente vem preocupada, tem outro filho, a cabeça não fica muito boa. Eu conheço um pouco porque já trabalhei em salão e sei que são produtos bons mesmo”, comentou.

A auxiliar de serviços gerais Fernanda Pereira da Costa, de 30 anos, também está na segunda gestação. Ela chegou à Casa há mais de 30 dias. “É a primeira vez que eu venho para cá, tem um mês e pouquinho que estou aqui. Minha bolsa se rompeu com 19 e agora estou fazendo 26 semanas”, contou. Fernanda também aprovou o trabalho na casa e gostou da visita das técnicas. “Deixam a gente feliz, porque tem dia que estamos mais tristes, né? Acho bonito o trabalho delas de vir e alegrar mais a gente”, disse, entre sorrisos, enquanto espera o nascimento de Miguel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade