Publicidade

Estado de Minas

Minas tem 6 mil casos prováveis de chikungunya, 17 mil de dengue e 200 de zika

Balanço publicado periodicamente pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) apontou estatísticas das doenças provocadas pelo Aedes aegypti


postado em 07/05/2018 20:30 / atualizado em 07/05/2018 20:44

(foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas)
(foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas)
Minas Gerais já registra cerca de 17 mil casos prováveis de dengue, 6 mil de febre chikungunya e 200 de zika. É o que diz o último boletim epidemiológico publicado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) nesta segunda-feira. De acordo com a pasta, os números prováveis são somatórias de casos confirmados pelas doenças com os casos suspeitos.

Em relação à dengue, somente neste ano, dos 17.276 casos prováveis, três óbitos foram diagnosticados provocados pela doença, que é transmitida pelo Aedes aegypti. Conceição do Pará e Moema, no Centro-Oeste mineiro, e Uberaba, no Triângulo, foram as cidades que registraram as mortes. Nove óbitos, no entanto, ainda estão sob investigação para que a causa seja detectada.

No ano passado, 18 mortes por dengue foram confirmadas, de acordo com a SES-MG, sendo que a média de idade das vítimas foi de 56 anos – com base em casos de pessoas entre 3 e 93 anos. Os municípios de Rodeiro, Piraúba e Visconde do Rio Branco, ambos na Unidade Regional de Saúde (URS) de Ubá, na Zona da Mata, apresentam maiores incidências de dengue, somando 715 casos prováveis.

Neste ano, foram registrados 5.762 casos prováveis de chikungunya no estado, concentrados, principalmente, no Vale do Aço. De acordo com o boletim epidemiológico, dos casos prováveis, 55 são gestantes e 18 foram confirmados após exames laboratoriais. No ano passado, 15 pessoas morreram pela doença viral causada pelo vírus CHIKV, que pode ser disseminado, além do aegypti, pelo Aedes albopictus, também transmissores da dengue, zika e febre amarela. Desse total, 12 foram confirmados somente em Governador Valadares, no Rio Doce.

O zika vírus, apesar de apresentar menos vítimas que as outras doenças, pode ter sido contraído por 202 pessoas em Minas Gerais, sendo que, desse número, 60 são gestantes. Apesar de três delas já terem sido diagnosticadas, Montes Claros tem 10 mulheres grávidas com suspeita de zika. Ipatinga e Janaúba registraram oito casos, cada.

* Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade