Publicidade

Estado de Minas

Nove em cada 10 veículos pesados apresentam irregularidades no Anel Rodoviário

Desde dezembro, Polícia Militar Rodoviária de Minas Gerais (PMRv) já realizou sete blitze de carretas e caminhões na rodovia


postado em 04/05/2018 19:08 / atualizado em 04/05/2018 20:31

Técnico constatou defeito grave nos freios de uma carreta na fiscalização realizada nesta sexta-feira. (foto: Divulgação/Via 040.)
Técnico constatou defeito grave nos freios de uma carreta na fiscalização realizada nesta sexta-feira. (foto: Divulgação/Via 040.)
Nesta sexta-feira, a Polícia Militar Rodoviária de Minas Gerais (PMRv) e a Via 040, concessionária responsável pelo Anel Rodoviário entre os bairros Califórnia e Olhos D’Água, realizaram mais uma fiscalização de carretas e caminhões na rodovia. E o resultado não foi diferente das anteriores: dos 20 veículos abordados, 18 apresentaram alguma falha. 

Entre as carretas e caminhões, uma apresentava um defeito causador de diversos acidentes no local: problemas graves no sistema de freios, constados por técnicos da Via 040. O veículo, além de ser autuado, precisou ficar retido pelos oficiais. 

Esta foi a sétima blitz no Anel Rodoviário desde dezembro. Desde então, foram fiscalizados 314 veículos e lavradas 297 autuações. Esses dados representam que 94,5% dos caminhões e carretas transitam pela rodovia com algum problema. 

A fiscalização identificou diferentes limitações, desde pneus sem condições de rodagem até carga mal acondicionada. Para-choque sem faixa refletiva, porcas dos parafusos de roda soltas e falta de aferição e disco no tacógrafo (dispositivo usado para monitorar o tempo de uso, distância percorrida e a velocidade dos meios de transporte) também foram constatados. 

As abordagens se conduziram por policiais do batalhão da PMRv e profissionais da Via 040. Os primeiros verificam a documentação e sinalizam a fiscalização da maneira adequada. Já os técnicos da concessionária  executam um pente-fino na parte mecânica e elétrica dos veículos.

Os dados levantados pelos especialistas embasam futuras campanhas educativas. Elas são desenvolvidas nas empresas transportadoras e junto aos motoristas autônomos que mais utilizam o trecho.

Entre as iniciativas, a "Aliança pela Vida" constitui um grupo que seu reúne regularmente para discutir ações para melhorar a segurança do Anel Rodoviário. A força-tarefa se idealiza pela Prefeitura de Belo Horizonte. Representantes do poder público municipal, estadual e federal, entidades de classe representativas do setor e a Via 040 também compõem o coletivo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade