Publicidade

Estado de Minas

Pais de bebê que chegou morto à UPA são presos na Grande BH

De acordo com a Polícia Civil, a mãe da criança confessou o crime, mas as causas da morte ainda serão confirmadas por laudo


postado em 24/04/2018 16:19 / atualizado em 24/04/2018 17:40

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira os pais do bebê que deu entrada sem vida na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na manhã de ontem. Segundo a polícia, a mãe da criança assumiu o crime.

A bebê Maria Eduarda, de 1 ano e dois meses, apresentava sinais de violência no corpo. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, a mãe da criança, Serena Silva de Oliveira, de 19 anos, confessou ter matado a filha com um travesseiro após discutir com o marido e pai do bebê, André de Brito, de 38.

Inicialmente, os pais disseram aos policiais que o bebê teria batido a cabeça. Segundo consta no boletim de ocorrências, durante a briga a menina teria escorado na barriga da mãe, e com o calor do bate-boca, a mulher teria levantado rapidamente, jogando a criança contra a parede, enquanto tentava correr atrás do pai, que estava indo trabalhar.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a criança foi levada para um Pronto Socorro de Ravena, distrito de Sabará, pela avó materna e transferida para a UPA. Os médicos da unidade de saúde suspeitaram que a menina tivesse sido agredida devido às lesões, como escoriações no queixo e vermelhidão no pescoço, e acionaram a polícia.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o laudo de necropsia ainda vai confirmar as causas da morte. A mãe da criança foi autuada por homícidio, enquanto o pai foi autuado por omissão. (Com informações de Lucas Eduardo Soares e Simon Nascimento)

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade