Publicidade

Estado de Minas

Em Ipatinga, marido finge sequestro para esposa pagar por resgate

Junto a traficantes, Julielme Rodrigues de Souza, 40, exigia pagamento de R$ 2,5 mil para falso resgate; dinheiro seria gasto para quitar dívidas com traficante


postado em 20/04/2018 20:33 / atualizado em 20/04/2018 20:41

Dinheiro e tabletes de crack apreendidos durante a operação. (foto: Divulgação/PMMG. )
Dinheiro e tabletes de crack apreendidos durante a operação. (foto: Divulgação/PMMG. )
Nesta sexta-feira, o 14º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) desmantelou um falso sequestro, seguido de estelionato, em Ipatinga, no Vale do Rio Doce. Julielme Rodrigues de Souza, 40, arquitetou um plano para convencer C.P.G., sua esposa, a depositar R$2,5 mil em uma conta bancária. 

A quadrilha envolvia, além de Julielme, Marcus José Ferreira, 37, que realizou cerca de 15 ligações para a vítima e ameaçava matar a família dela. A mulher chegou a registrar um boletim de ocorrência, que informava o desaparecimento do marido. 

Ainda nesta sexta-feira, Julielme visitou a casa de uma conhecida no bairro Cidade Nobre, em Ipatinga. No local, ele realizou outro golpe: fingindo ter se envolvido em um acidente de trânsito, o homem pegou mil reais emprestado com a outra vítima, com a promessa de quitação do dinheiro. 

Foi neste momento em que policiais militares agiram e prenderam a dupla, a partir de uma denúncia recebida pelo batalhão. As extorsões, segundo a PM, serviram para pagar dívidas que Julielme – usuário de crack – tem com Marcus – dono de uma boca de fumo em Ipatinga. 

Com a detenção, a PM se dirigiu ao ponto de venda de drogas informado pelos dois presos. Lá, policiais autuaram uma mulher de nome Cremilda, tratada como cúmplice de Marcus no negócio. Eles também encontraram tabletes de crack prontos para comercialização. 

Ainda nesta semana, Julielme, na tentativa de pagar a dívida, penhorou um carro modelo Volkswagen Polo e um celular da marca Samsung. Ele também tentou um empréstimo num banco, mas não obteve sucesso. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade