Publicidade

Estado de Minas

Polícia promete medidas contra assaltos no entorno do Colégio Santo Agostinho

Segundo a Polícia Militar, foram sete casos desde 15 de março. Os roubos ocorreram nos quarteirões próximos ao colégio


postado em 16/04/2018 22:04 / atualizado em 17/04/2018 07:54

(foto: Reprodução da Internet/Facebook)
(foto: Reprodução da Internet/Facebook)
Assaltos a estudantes do Colégio Santo Agostinho ligam o alerta sobre a violência na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Devido às últimas ocorrências na imediações da escola, uma reunião foi marcada no teatro da instituição para tratar sobre o assunto. Polícia Militar (PM), pais, alunos, representantes da escola e associação de moradores lotaram o auditório em busca de esclarecimentos. Desde o dia 15 de março, foram pelo menos sete casos.

"Esse se tornou um dos assuntos mais recorrentes nos grupos de pais. Alunos tem sido abordados na vias próximas ao colégio, como, nas avenidas Barbacena e Amazonas. Nós ficamos apreensivos", contou a mãe de dois alunos do colégio, de 8 e 12 anos, que tem percebido um aumento no número de casos no último mês.

As crianças e adolescentes têm sido vítimas de ladrões de celulares e de mochilas. "Eu sempre os levei e os busquei da aula. Mas agora tenho o cuidado de entrar dentro da escola para pegá-los. Não dá para ficar dentro do carro esperando mais, está perigoso. Temo pela integridade dos meus filhos", completou a mãe, que não quis se identificar. Ela acredita que a reunião ajudou a traçar novas estratégias para coibir a criminalidade na região.

Policia Militar (PM) realiza palestra sobre segurança no teatro do Colégio Santo Agostinho(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
Policia Militar (PM) realiza palestra sobre segurança no teatro do Colégio Santo Agostinho (foto: Tulio Santos/EM/D.A Press)
O Diretor do Colégio Santo Agostinho – Unidade de Belo Horizonte, Clovis Oliveira, conta que desde o dia 15 de março foram registradas sete ocorrências contra alunos da escola. O último caso ocorreu na sexta-feira. "O colégio já é contundente em relação à segurança no entorno da escola. Isso já tem bastante tempo. Temos um agente em cada quarteirão. Temos que destacar que os casos ocorrem nas imediações", pontuou.

O colégio tem contribuído com a polícia e auxiliado os alunos vítimas de assalto. "Contribuímos como podemos. Os casos ocorreram fora do colégio. Nós auxiliamos os pais e alunos e fornecemos imagens de segurança", explicou. A descrição dos suspeitos também é repassado para a polícia.

NOVAS MEDIDAS

A reunião desta segunda-feira ajudou a traçar novas estratégias. Clovis Oliveira explica que 5ª Cia da PM apontou que, apesar dos últimos casos, o número de ocorrências na região diminuiu. Porém, não mediu esforços para tranquilizar os pais. "A polícia vai reativar um posto nas intermediações e vai reforçar a presença de policiais com bikes no bairro", contou.

Porém, ele alerta para que os alunos fiquem atentos. "Às vezes, o aluno pede um carro por aplicativo e fica na rua com o telefone na mão. Infelizmente, isso potencializa a vítima", completou o diretor. Também foi ressaltada a importância do boletim de ocorrência em caso de assaltos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade