Publicidade

Estado de Minas

Mureta do Viaduto Leste será alterada para melhorar o trânsito

Alças do Viaduto Leste são liberadas para o tráfego de veículos, deixando sete pistas de acesso ao Centro de BH. Na próxima semana, alteração na mureta promete mais benefício


postado em 14/04/2018 06:00 / atualizado em 14/04/2018 14:03


Motoristas que transitam pelo Complexo da Lagoinha, no Centro de Belo Horizonte, já encontram abertas ao tráfego duas alças do novo viaduto projetado para a região, com a opção de mais quatro faixas de circulação para acesso ao Hipercentro da cidade. Mas, a partir de semana que vem, outras mexidas vão promover mais modificações na lógica apresentada ontem à população, que ainda não é definitiva. A BHTrans informou que após a liberação de ontem das quatro novas faixas ao trânsito, vai haver uma alteração na mureta do Viaduto Leste, para que o benefício também seja estendido a quem deixa o Centro pelo elevado e não só para aqueles que entram na região central. O objetivo é também aumentar a área de circulação no momento da volta para casa, no horário de pico da tarde.


Com a liberação do novo viaduto, as três faixas de acesso à Avenida do Contorno pelo Viaduto Leste ganharam a companhia de mais quatro, somando sete pistas de acesso ao Centro para quem chega da Avenida Cristiano Machado. Enquanto isso, no sentido contrário, quem segue pela Contorno e passa em frente ao Batalhão Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) da Polícia Militar só tem duas faixas disponíveis no Viaduto Leste: uma para acessar a Antônio Carlos e a outra para a Cristiano Machado. “A partir da semana que vem vai haver uma modificação de uma das muretas, que será arrastada para o lado e com isso teremos um total de quatro faixas no sentido bairro”, afirma o diretor de Sistema Viário da BHTrans, José Carlos Ladeira. A reconfiguração das pinturas e ajustes de muretas vai definir se serão cinco ou seis faixas em direção ao Centro.


Apesar da liberação de ontem, motoristas ainda vão precisar de paciência na semana que vem, pois existe uma possibilidade, que ainda está sendo estudada, de fechamento do acesso ao Viaduto Leste pela Avenida Antônio Carlos para viabilizar os ajustes na mureta. A BHTrans ainda não informou se será um fechamento total ou parcial, mas é praticamente certa a necessidade de algum tipo de bloqueio.

Motoristas tiveram dificuldades para transitar no primeiro dia para a Região Central da capital(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Motoristas tiveram dificuldades para transitar no primeiro dia para a Região Central da capital (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)


REFLEXOS DA ABERTURA
A liberação do tráfego nas quatro faixas das duas alças do novo viaduto produziu uma certa confusão na cabeça dos motoristas por conta do primeiro dia de operações. As dúvidas surgiram em três pontos. Primeiro, no acesso ao viaduto, logo após a saída do túnel. A divisão entre o Viaduto Leste e a parte nova causou estranheza e deixou muita gente sem ação, situação que exigia intervenção dos agentes da BHTrans o tempo todo. Ao entrar na parte nova, outra divisão confundia pela segunda vez a cabeça dos motoristas. Para a direita, acesso ao Hipercentro pelas ruas São Paulo e Rio de Janeiro. Pela esquerda, acesso à Praça da Estação.


Na alça mais à direita do viaduto foi colocada uma faixa exclusiva para o transporte coletivo. “Essa faixa vai permitir aos ônibus do Move que trafegam na Cristiano Machado o percurso completo até as estações da Santos Dumont e Paraná de forma exclusiva. Antes, eles se misturavam aos carros nos últimos 800 metros do trajeto sofrendo grande interferência”, acrescenta José Carlos Ladeira. Oito linhas de ônibus não vão usar essa faixa exclusiva, pois elas se dirigem à Praça da Estação. Em um primeiro momento não está prevista a implantação de faixa exclusiva para essas linhas, mas elas podem seguir pela mesma pista dos demais até o momento da divisão das duas alças.

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)


MAIS AGILIDADE Os motoristas e passageiros que cruzavam o Complexo da Lagoinha ontem, com a abertura do novo pontilhão, enxergaram nessa obra um ganho de tempo para suas viagens diárias de trabalho e estudo. A recepcionista de hotel Maria de Lourdes Santos, de 30 anos, sai do Bairro São Gabriel, na Região Nordeste da capital, todas as manhãs para o serviço, no Hipercentro da capital mineira. De acordo com ela, atrasos eram frequentes e isso a obrigou a acordar cada vez mais cedo para conseguir chegar no horário. “Dia de segunda-feira e dia de sexta-feira eram os piores por causa do trânsito intenso. Vésperas de feriados e chegada das férias, de feriadões também eram um inferno. Isso tudo mudou a minha vida. Tive de acelerar meus afazeres em casa. Dormir mais cedo e acordar mais cedo”, conta.

Ontem, ela mais uma vez embarcou em seu bairro no ônibus da linha 810 (Estação São Gabriel/Parque Belmonte) e na Estação do Move São Gabriel subiu no BRT da linha 83, para o Centro. “Na sexta-feira, era normal agarrar (o trânsito) já antes do túnel (da Lagoinha) e ficar aquela fila de ônibus. Hoje (ontem), foi bem mais tranquilo. Temos de esperar, agora, só para ver como vai ser durante a semana e nos dias mais quentes dos feriados”, espera a recepcionista.


O motorista de aplicativo André Lima, de 27, também gostou de ter mais essa opção de circulação. “Antes, estava muito complicado. As obras para fazer os viadutos e os acessos para o Centro tinham piorado ainda mais o trânsito dos horários de pico, principalmente para os clientes de aeroporto que precisavam de chegar cedo para o trabalho. Agora, já sentimos esse alívio. O trânsito está mais despachado e a gente tem mais opções de entrar no Centro. Tem de ver se vai continuar assim, né”, disse o condutor. Apesar da abertura das alças, a conclusão total da obra está prevista para junho, com o término dos acabamentos dos baixios e deslocamento das muretas necessárias.

Ver galeria . 11 Fotos Após atraso, previsão era de que a nova estrutura do Complexo da Lagoinha fosse inaugurada em maioJair Amaral/EM/DA Press
Após atraso, previsão era de que a nova estrutura do Complexo da Lagoinha fosse inaugurada em maio (foto: Jair Amaral/EM/DA Press )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade