Publicidade

Estado de Minas

PM registra quinto ataque a ônibus em dois dias na Grande BH

Desta vez o crime aconteceu no Bairro Vila Cristina, em Betim. Criminosos atearam fogo no veículo da linha 2590 (Vila Cristina/ Metrô Eldorado) quando ele estava parado na Rua Pirapora, no ponto final. Ninguém se feriu


postado em 13/04/2018 22:14 / atualizado em 13/04/2018 22:22

Onda de ataques começou nessa quinta-feira(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Onda de ataques começou nessa quinta-feira (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)

Mais um ônibus é incendiado nesta sexta-feira na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Desta vez o crime aconteceu no Bairro Vila Cristina, em Betim. Criminosos atearam fogo no veículo da linha 2590 (Vila Cristina/ Metrô Eldorado) quando ele estava parado na Rua Pirapora, no ponto final. O Corpo de Bombeiros foi acionado e debelou as chamas. A Cemig foi acionada devido o fogo atingir a rede elétrica. Buscas estão sendo feitas atrás dos criminosos. Desde quinta-feira, cinco coletivos foram incendiados na Grande BH.

Na tarde desta sexta-feira, um veículo foi atacado em São Joaquim de Bicas. Segundo o tenente Gustavo Quintão, dois homens e uma mulher abordaram o coletivo e mandaram o motorista parar. "Pegaram o dinheiro e mandaram todo mundo descer. Depois, eles deixaram um bilhete com o condutor, falando que aquela era uma ação em represália de prisões feitas na madrugada desta sexta-feira", contou. A represália seria contra a prisão de cinco homens devido a assalto.

Buscas foram feitas pela PM após o ataque e três pessoas responsáveis por atearem fogo no ônibus foram presas. Os militares também chegaram a outras tês pessoas apontadas como as mandantes do atentado. A corporação ainda apreendeu drogas, rádio-comunicador e munições de 9 e 22 milímetros. Os seis envolvidos foram levados para o Pelotão de Bicas para serem ouvidos.

Nessa quinta-feira, outros três ataques foram registrados pela PM. O primeiro ataque por volta das  0h30, na Rua Quaresmeira, Bairro Colonial, em Contagem. Segundo o boletim de ocorrência, o motorista da linha 303 (Colonial/Cidade Industrial) contou que se preparava para ir à garagem da empresa quando um casal se aproximou e perguntou para onde o veículo seguia. O homem sacou uma arma, mandou o motorista ficar quieto e abaixar a cabeça. Eles deixaram uma carta com o condutor, exigindo que ele a entregasse às autoridades. Logo em seguida, jogaram líquido inflamável no coletivo e atearam fogo, deixando o galão de combustível para trás. O casal fugiu em direção ao Bairro Tropical, com o apoio de um carro escuro. Outro homem teria dado cobertura ao crime. Conforme informações da Polícia Militar do município, na carta, os criminosos reclamam do diretor do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, exigem tratamento menos rigoroso na unidade e ameaçam fazer novos ataques.

Cerca de duas horas depois, às 2h40, outro ônibus foi queimado no Bairro Aranha, em Brumadinho, também na Grande BH perto da casa do motorista, onde estava estacionado. De acordo com a PM, moradores disseram ter ouvido pessoas correndo. Uma equipe do Corpo de Bombeiros apagou as chamas.

O terceiro veículo queimado é um micro-ônibus, que estava estacionado na Rua Cissus, em frente ao Centro de Estudos Sindicais da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), no Bairro Juliana, Região Norte de Belo Horizonte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade