Publicidade

Estado de Minas

Interrupção de buscas por criança desaparecida vai ser apurada por Bombeiros

Bombeiros vasculharam a mata de Betim, onde Miguel de 2 anos desapareceu. Eles interromperam as buscas à noite, uma atitude não prevista pelo procedimento padrão


postado em 02/04/2018 10:59 / atualizado em 02/04/2018 11:29

Bombeiros no segundo dia de buscas se informam novamente com o pai do menino desaparecido, o pastor Albervan(foto: Marcos Vieira/EM/D.A. Press)
Bombeiros no segundo dia de buscas se informam novamente com o pai do menino desaparecido, o pastor Albervan (foto: Marcos Vieira/EM/D.A. Press)

Os motivos pelos quais as buscas pela criança Miguel de Jesus, de 2 anos, foram interrompidas no fim da tarde da última sexta-feira (30), numa mata em Betim, na Grande BH, serão alvo de apuração da corporação. De acordo com nota divulgada hoje (2), pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, "este não é um procedimento padrão do CBMMG nesse tipo de busca e que estão sendo apuradas as circunstâncias que motivaram essa tomada de decisão pelo responsáveis da operação".


Miguel foi encontrado no fim da tarde de sábado (31) depois de mais de 24 horas de sumiço. Desapareceu quando estava com seu pai, Albervan de Jesus, de 43 anos, e o irmão mais velho, de 7 anos. Por um breve momento, segundo o pai, os dois filhos ficaram sozinhos enquanto ele buscava lenha. A família tinha acampado no alto do morro do Parque das Indústrias, em Betim, local muito frequentado por religiosos em oração, e iria passar mais uma noite ali orando. A lenha era para aquecê-los formando uma fogueira.

As buscas se iniciaram logo depois do comunicado sobre o desaparecimento, por volta de 11h, mas acabaram interrompidas no fim da tarde em procedimento que a corporação entendeu ter sido equivocado.

Na manhã seguinte (31), uma equipe do Batalhão de Emergências Ambientais e Respostas a Desastres (Bemad) chegou ao local por volta das 8h30. Como a equipe inicial não repassou aos colegas o serviço por terem ido embora, foi preciso que os socorristas entrevistassem e remontassem novamente os passos dos pais e filhos do desaparecido, algo que certamente atrasou o trabalho.

A polícia Civil informou que tentaria ouvir o menino desaparecido para conferir certas inconsistências no caso, como o fato de o garoto ter sido encontrado em local que foi várias vezes vasculhado pelos Bombeiros, com reforço de efetivo e utilização do canil, helicópteros, drones e quase 40 voluntários civis. O local foi inteiramente percorrido pelas equipes do CBMMG e cães farejadores, além do apoio aéreo que também percorreu toda a área.

Por volta das 17 horas de sábado (31) surgiu a suspeita de que a criança poderia ter sido levada do local. A partir desta situação, as buscas foram temporariamente suspensas para que todos os possíveis envolvidos fossem direcionados a delegacia responsável pela área do desaparecimento, para a apuração deste novo fato. Momentos depois, por volta das 17:40 h a criança foi encontrada por populares próximo a uma cerca, onde as equipes já haviam passado diversas vezes e verificado a área.

A criança foi encaminhada ao Instituto Médico Legal, para realizar exame de corpo de delito, onde foi constatado que não teve nenhuma lesão aparente. A criança foi levada até a UPA de Betim pela viatura dos Bombeiros para melhor avaliação e cuidados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade